">
*
 
 

Os policiais civis do DF já tentaram de tudo para sensibilizar o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) e fazer com que ele cumpra o compromisso de manter a isonomia salarial com a PF. No idioma do contracheque, isonomia hoje é igual a aumento de salário para a categoria que reclama de defasagem inclusive com a Polícia Militar. O governo diz repetidamente que não tem de onde subtrair para atender a categoria.

Revoltados com a postura irredutível de Rollemberg, os policiais civis, que estão em greve branca, partiram para o ataque à imagem do governador. Já enterraram, queimaram e crucificaram a figura de Rollemberg. A investida mais recente foi inflar o boneco gigante de Rollemberg dentro das dependências do complexo da polícia, em frente ao Parque da Cidade.

Apelidado de Rollinóquio, o bonecão de nariz avantajado é mais um símbolo da crise sem precedentes, e ainda sem perspectivas de encerramento, entre os policiais civis e o governo.

Em nota divulgada na manhã desta quarta-feira (21/9), o Sindicato dos Delegados de Polícia do DF (Sindepo) disse que o GDF sinalizou que não fará nova proposta da manutenção da paridade salarial da Polícia Civil com a PF. Hoje, estava marcado encontro para a negociação de novos percentuais.

Na última reunião, as entidades de classe propuseram a equiparação a partir de junho do próximo ano com recomposição de 10%, 11,5% em junho de 2018 e 13% em junho de 2019. No entanto, o governo recusou a oferta e manteve os índices apresentados às entidades de classe: 7,5% em outubro de 2017; 8% em outubro de 2018; 8,5% em outubro de 2019 e 8,5% em outubro de 2020.

Enquanto o consenso não vem, Rollemberg vai ter de lidar com o constrangimento do tamanho do nariz do bonecão feito sob medida para a confusão instalada entre a polícia e o GDF. Nesta quarta, um novo protesto está marcado pela categoria.



Polícia Civilrollembergrollinóquio
 


COMENTE

Ler mais do blog