Policiais civis questionarão na Justiça auxílio-moradia de PMs

Sindicato tenta fazer valer aumento salarial de 37% equiparado com a PF independentemente das outras forças de segurança da capital

atualizado 27/11/2019 15:25

JP Rodrigues/Metrópoles

O sindicato que representa os agentes da Polícia Civil do Distrito Federal (Sinpol-DF) vai questionar na Justiça o auxílio-moradia pago exclusivamente a policiais e bombeiros militares.

Com a iniciativa, o Sinpol-DF quer provar que não existe igualdade, pelo menos nos contracheques, entre as forças de segurança do DF.

É mais uma tentativa de a categoria fazer valer o aumento salarial de 37% (equiparado ao da Polícia Federal), independentemente das negociações para PMs e bombeiros. Os militares resistem até agora à proposta elaborada pelo Executivo local e enviada ao governo federal.

O auxílio-moradia pago apenas às categorias militares foi turbinado por meio de um decreto do ex-governador Agnelo Queiroz (PT), de 2014.

O argumento do sindicato é de que um ato distrital não poderia ditar uso do Fundo Constitucional.

Em 2018, o Tribunal de Contas da União apontou “aumento significativo de valores” do auxílio-moradia. Em 2013, segundo o TCU, o benefício custou R$ 13,88 milhões, gasto que subiu a R$ 459,11 milhões em 2017. Confira, aqui, reportagem dos jornalistas Caio Barbieri e Manoela Alcântara sobre o assunto.

Últimas notícias