Patriota protocola ação contra o deputado federal eleito Luis Miranda

Segundo a documentação, o youtuber teria omitido gastos de campanha e sorteado iPhones no período vedado pela legislação eleitoral. Ele nega

Ricardo Botelho/Especial para o MetrópolesRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

atualizado 22/11/2018 22:00

O presidente do Patriota no Distrito Federal, Paulo Fernando, protocolou na quarta-feira (21/11), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), ação de investigação judicial eleitoral contra o deputado federal eleito pelo DEM Luis Miranda.

De acordo com a documentação, o youtuber teria sorteado iPhones para seus seguidores em 22 de agosto – dentro do período vedado pela legislação eleitoral. O anúncio da premiação e a entrega do celular teriam sido registrados na página de Miranda no Facebook.

Ainda segundo a ação, Miranda postou vídeo em que reclamava da impressão de anúncio encomendado por ele em um jornal impresso. O youtuber teria dito que não era possível ler os números da sua candidatura no papel. No entanto, o deputado federal não teria prestado conta desse gasto ao TRE.

No processo, o presidente do Patriota pede que as empresas Facebook, Google e Instagram sejam consultadas sobre o possível impulsionamento de conteúdo político promovido por Luis Miranda irregularmente no período eleitoral.

Confira a ação protocolada no TRE-DF:

Ação de Investigação Judicial Eleitoral by Metropoles on Scribd

 

Além disso, a ação solicita que, caso seja comprovada a conduta inadequada do youtuber, os 65.107 votos recebidos pelo morador de Miami sejam cancelados e que seja feito novo cálculo do quociente eleitoral e partidário.

Numa eventual condenação, a revisão dos votos poderia mudar a composição da bancada do Distrito Federal no Congresso Nacional e três nomes ascenderiam ao posto no lugar de Miranda: Laerte Bessa (PR), Joaquim Roriz Neto (Pros) ou Dr. Paulo Fernando (Patriota) – o último é o autor da ação, o que demonstra o interesse dele no caso.

Ação vergonhosa
Luis Miranda classificou a ação como “vergonhosa”. “É uma tentativa de chamar a atenção, de ludibriar o Judiciário”, disse. De acordo com ele, o sorteio dos celulares foi feito antes do período vedado e fora do contexto eleitoral.

O youtuber enviou o print de um post no Facebook que mostra o prazo final da promoção: 15 de agosto – portanto, um dia antes do início do processo eleitoral.

Confira:

 

Sobre a propaganda veiculada em um jornal impresso, o deputado federal disse que foi um equívoco, já corrigido na prestação de contas. Ele ressaltou, ainda, que o pagamento foi realizado por meio da conta de campanha.

Miranda apresentou a nota fiscal e a retificação da documentação encaminhada ao TRE-DF. Além disso, afirmou não ter feito qualquer impulsionamento de conteúdo nas redes sociais. “Tenho certeza que o TRE não vai acatar esse processo”, completou.

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Gabriella Furquim

Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), com experiência em redação, assessoria de imprensa e gestão de comunicação. Atua na área desde 2009. Integrou as equipes de reportagem e edição dos jornais Correio Braziliense e Aqui DF. Em 2014, coordenou a comunicação da Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente, Seção Defence for Children Brasil (Anced/ DCI Brasil), e do projeto internacional Red de Coaliciones Sur. De 2015 a 2017, foi assessora de imprensa do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Últimas notícias