Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

MPDFT usa inteligência de dados para mapear informações sobre racismo

O Business Intelligence (BI) de Injúria Racial coleta e organiza dados como perfil dos autores e das vítimas no Distrito Federal

atualizado 19/11/2020 15:23

Fachada do MPDFT RICARDO BOTELHO/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) usa a inteligência de dados para mapear as informações sobre os crimes de injúria qualificada e racismo na capital federal. O objetivo do Business Intelligence (BI) de Injúria Racial é ajudar no combate e na prevenção desses delitos.

A ferramenta foi criada e é aprimorada pelo Núcleo de Enfrentamento à Discriminação (NED) e Núcleo de Ciências de Dados (NCD).

O MPDFT explicou que a proposta do BI de Injúria Racial é coletar informações, como perfil dos autores e das vítimas, escolaridade, áreas de incidência e datas. Depois, é feita uma “mineração”, na qual as variáveis são organizadas a fim de obter leitura mais ampla dos contextos dos crimes.

A iniciativa faz parte do Programa de Estruturação da Plataforma de Ciência de Dados (Prodados), ligada à Vice-Procuradoria Institucional do MPDFT.

Pratica-se a governança de dados, por meio da qual as informações são tratadas não só como integrantes de processos administrativos, mas passam a contribuir para a eficiência e a produtividade dos núcleos especializados e das promotorias.

Denúncias

O MPDFT ofereceu 63 denúncias por injúria racial e racismo entre 1° de janeiro e setembro deste ano. Do total de processos, 28 foram iniciados pelo NED. Em todo o ano de 2019, o número de denúncias apresentadas à Justiça chegou a 88.

“Esse cenário demonstra a importância de o MPDFT seguir atuante na conscientização da comunidade para enfrentar esse problema histórico”, disse a coordenadora do NED, promotora de Justiça Mariana Nunes.

Os dados referentes às denúncias serão tratados no âmbito do BI de Injúria Racional. Será feita uma coleta automatizada em processos registrados no sistema PJe. “Uma das técnicas que vem sendo empregada na instituição usa um algoritmo inteligente — popularmente chamado de robô – para a varredura dos processos”, detalhou o MPDFT.

O uso do BI de Injúria Racial faz parte do aprimoramento da atuação do MPDFT em políticas públicas. O NED lançou, por exemplo, a campanha Juntos Contra o Racismo, que é veiculada nas redes sociais do MPDFT.

Confira a campanha:
0

Outra iniciativa que se soma a essas ações é a live, que ocorrerá em 25 de novembro, nos canais do MPDFT, com a autora do Guia para Mães e Pais Lutarem Contra o Racismo, pela Igualdade e Justiça, de Cida Chagas.

O NED também oferece o curso Conscientização Sobre o Racismo e Preconceito Racial desde 2014.

Nesta sexta-feira (20/11), será celebrado o Dia da Consciência Negra.

 

Últimas notícias