Família Roriz coloca para alugar mansão de 2 mil m² onde o ex-governador viveu por duas décadas

Localizada às margens da EPIA, no Park Way, a residência foi esvaziada após a morte do político: imobiliária pede R$ 49,5 mil por mês

Ricardo Botelho/Especial para o MetrópolesRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

atualizado 20/09/2019 18:27

Um dos principais cenários de decisões políticas nos 14 anos em que Joaquim Roriz governou o Distrito Federal, a famosa mansão onde o ex-governador morou boa parte da vida está para alugar.

A imponente residência, que ficou conhecida por ostentar uma imagem gigante de Nossa Senhora no jardim, fica na Quadra 8 do Park Way. A casa tem 2 mil metros quadrados de área construída, o que, em termos de espaço, equivaleria a 20 apartamentos de três quartos.

Como descreve o anúncio publicado em site de compra e venda de imóveis, a mansão possui sete suítes, salas para quatro ambientes, spa, salão de beleza, academia, salão de festas e garagem coberta para 20 carros. Na área externa, há uma piscina coberta e aquecida.

Para ter acesso às dependências nas quais por quase duas décadas circulou Roriz, o inquilino terá de estar disposto a negociar um aluguel anunciado por R$ 49,5 mil. Mas quem for pontual, tem desconto: R$ 45 mil.

A família chegou a pensar em vender o imóvel, mas acabou desistindo da ideia. Desde que o patriarca morreu, em setembro de 2018, as três filhas herdeiras disputam o espólio dele na Justiça e não entraram em acordo sobre se desfazerem definitivamente do imóvel.


Veja fotos do imóvel:

 

SOBRE O AUTOR
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Últimas notícias