Cristovam, Alírio, Rosso e Izalci fecham aliança para o Buriti

Representantes do PPS, PSDB, PSD, PTB, PRB, PSC, DC, Patriota e PSDC assinaram manifesto de lançamento de chapa majoritária

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 03/04/2018 9:29

Uma carta de intenções intitulada Nota Conjunta à Sociedade do Distrito Federal revela quais os políticos compõem uma das vias que pretende disputar o governo do Distrito Federal em outubro.

O texto é assinado pelo senador Cristovam Buarque (PPS); pelos deputados federais Rogério Rosso (PSD) e Izalci Lucas (PSDB); por Alírio Neto (PTB), Wanderley Tavares (PRB), Arthur Bernardes (PSD), Sérgio Ferreira (DC); e ainda pelo vice-governador Renato Santana (PSD), por Daniel de Castro (PSC), Kaio Teixeira (Patriota), Paulo Fernando (Patriota), Chico Andrade (PPS) e Silvana Siqueira (PSDC).

O documento fala em “resgatar com urgência e eficácia a prestação de serviços públicos”; diz que o DF deixou de ser “referência em saúde, educação, moradia, segurança, desenvolvimento social e econômico”; e avisa que, “no momento certo e ouvindo a população”, será definida a chapa que vai representar a aliança do conjunto de partidos signatários.

 

Reprodução

 

Uma indicação de que a briga pelo Palácio do Buriti pode ser um cabo de guerra com ponta tripla: tendo o grupo do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) numa das extremidades, o de Cristovam, Rosso, Alírio e Izalci na outra, e ainda Jofran Frejat (PR) e companhia representando um terceiro campo de força.

A carta foi elaborada durante um brunch na casa de Cristovam, na noite de segunda-feira (2/4). Tapioca, frutas e suco de laranja alimentaram o desejo do grupo de assumir o Poder Executivo no DF.

SOBRE O AUTOR
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Últimas notícias