*
 
 

Levantamento da plataforma on-line de comparação e contratação de seguros Bidu mostra que Brasília manteve, em março, o seguro automotivo mais barato do que o praticado em outras cinco capitais.

O estudo leva em conta os valores dos seguros para as versões de entrada (mais simples) de 10 modelos mais vendidos no país.

A média de Brasília foi de R$ 2.712 para o perfil masculino e R$ 2.681 para o feminino. Em seguida, vem São Paulo, com R$ 2.919 e R$ 2.938, respectivamente.


Homem

Fonte: Bidu

Mulher

Fonte: Bidu

Já como era de esperar, o preço de seguros de veículos no Rio de Janeiro — atolado na violência — continua de assustar: em média, R$ 4.992 para homens e R$ 4.870 para mulheres.

O trabalho da Bidu baseia-se em dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e analisa o preço médio mensal do seguro em Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo.

A comparação é feita a partir do perfil de homens e mulheres, de 35 anos, casados, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho — e que estão contratando o seguro pela primeira vez. As pesquisas são feitas nas seguradoras parceiras da Bidu (Allianz, Azul, HDI, Itaú, Porto Seguro e Tokio Marine).


HR-V, da Honda

Foto: Divulgação/Honda

Quando se compara a análise feita em fevereiro, o aumento no preço médio do seguro do HR-V, da Honda, é bem expressivo: em cidades como Porto Alegre, Rio e São Paulo, os valores subiram até 117%.

É, de longe, o preço médio mais caro entre os veículos analisados, embora o aumento tenha variação de cidade para cidade e entre as seguradoras.

Em Brasília, as seguradoras cobram R$ 3.874 pelo seguro (mulher, de 35 anos) de um HR-V. No Rio, uma dona desse modelo tem que desembolsar incríveis R$ 14.299. De fato, não está sendo fácil viver na cidade maravilhosa.


Corolla, da Toyota

Foto: Toyota do Brasil/Divulgação

Esse foi o único modelo entre os mais vendidos de março que mostrou redução no preço médio do seguro, segundo o estudo da Bidu: queda de 20% para o perfil masculino e 25% para o feminino.

Analistas e corretores avaliam que esse tipo de variação reforça a importância de sempre pesquisar bem o preço e fazer cotações em diversas seguradoras, levando-se em conta todas as coberturas oferecidas.


Onix, da Chevrolet

O levantamento da Fenabrave mostra que foram emplacados em março 172.739 automóveis – um aumento de 33,16% em comparação ao mês anterior, quando foram vendidas 129.739 unidades.

O Onix continua a ser o carro mais vendido, com 12.918 emplacamentos no mês.

Foto: GM Notícias

O preço médio do seguro para o modelo de entrada custa R$ 2.604 para o perfil masculino e R$ 2.858 para o perfil feminino.

Em março, o Nissan Kicks aparece pela primeira vez em 2018 no ranking da Fenabrave dos 10 mais emplacados, ocupando o 8º lugar, com 5.532 unidades vendidas. O preço do seguro custa em média R$ 3.837 para o perfil masculino e R$ 3.240 para o perfil feminino.


Custo-benefício

Ao avaliar a relação do preço médio do seguro e o valor de mercado do veículo (price ratio), o campeão de custo-benefício é o Corolla, da Toyota: o preço médio do seguro representa 4% do valor do carro (com base na tabela Fipe) tanto para o perfil masculino (em azul) quanto para o feminino (em vermelho).

Em fevereiro, essa relação era de 5%. Outros veículos que também tiveram uma boa relação custo-benefício foram o estreante Kicks, com price ratio de 5%, seguido pelos mais populares Onix e Polo, com o preço do seguro representando 6% do valor do carro para os dois perfis.

Na contramão desses modelos, está o Volkswagen Gol como o veículo com o preço relativo do seguro menos interessante para os dois perfis (price ratio de 9% para o perfil masculino e 8% para o perfil feminino). Desta vez, o HR-V empatou tecnicamente com o Gol, apresentando price ratio de 8% para ambos os perfis.

 



 


BrasíliariopreçosCorollaToyotahondaBiduHR-VSegurosSeguro automotivo