*
 
 

Quando o Extre-eixos recebeu para testes o novo VW Polo TSI 200, com motor 1.0, foi nos dada a oportunidade para esclarecer uma dúvida de muitos leitores: ‘carro mil’ consegue mesmo ser mais potente do que carro com propulsor 1.4, 1.6 e até 1.8? A resposta é pronta e direta: sim!

Para começar, repare na tampa do porta-malas de uma das versões do WV Polo: nela, a plaquetinha 200 TSI – que reforça, ressalta ou privilegia o torque (a força), não a litragem (tamanho) do motor. Nesse caso, 200Nm (ou 20,4kgfm).

Como esse motor de menor litragem (1.0) é turbinado, rende mais que o colega “maior” de aspiração natural. Reforçando: o 1.0 TSI gera 128cv, um pouco mais dos 120cv do 1.6 MSI.

No entanto, as rotações nas quais essa cavalagem é atingida são mais baixas, resultando em mais força disponível em qualquer rotação no motor 1.0 turbo.

O torque, enfim, explica tudo: 20 kgf.m a 1500 rpm no 200 TSI (1.0) contra 16,2 kgf.m a 3.500 rpm no 160 MSI (1.6). Bem, se você quer saber mais sobre o tema, leia esse excelente artigo.


 

Condução

Foto: Volkswagen/Divulgação

Para começar, uma constatação: o novo Polo é um carro excelente de se conduzir, dirigir, curtir – seja nos trampos urbanos quanto nos trancos rodoviários. Parece um Golf – que, aliás, tem nova versão topo de linha bem cara, embora com um baita 2.0 TSI de 230cv e impressionante torque de 35,7kgfm.

Mas vale reforçar: por  R$ 81.674 (valor do carro testado com todos os opcionais disponíveis) você terá também grandes emoções. Segundo os engenheiros da marca, o Polo 200 TSI chega a 100 km/h em apenas 9,6 segundos. Também, pudera: a relação peso/potência é 8,96kg/cv.

Foto: Volkswagen/Divulgação

O modelo tem transmissão automática de seis velocidades, com respostas rápidas e suaves. Por ser topo de linha, vem com aquelas aletas para trocas de marchas atrás do volante. Ah, e ainda há o modo Sport, acionado no próprio câmbio, que eleva os giros do motor e melhora as acelerações.

Suspensão

Um dos pontos fortes do novo Polo é o acerto de suspensão. Nas BRs e PEs que cortam Pernambuco, geralmente mal cuidadas (esburacadas ou remendadas),  essa assimetria quase natural brasileira foi bem absorvida pelo conjunto do modelo.

Até o ambiente interno não acusava o golpe do ruído das imperfeições rodoviárias – como as dezenas de lombadas que infestam a BR-232 do estado nordestino.

No entanto, porém, a suspensão demonstrou-se bem confortável – o que prova ser possível, sim, achar-se equilíbrio entre bem-estar e esportividade.  

Estabilidade

Sabe-se que, no Brasil, a maioria das rodovias tiveram como engenheiros os burros de carga. Explico: as veredas e estreitos caminhos abertos nas matas pelos boiadeiros e almocreves nos séculos passadas mantiveram seus traçados intactos na hora de serem transformados e rodovias. Por isso, ninguém se surpreende com tantas curvas (algumas absurdas) no sistema rodoviário brasileiro.

O Polo se segura muito bem, mas muito bem mesmo, na maioria dessas curvas – e sem ‘reclamar’ de limite ou dar sustos no condutor.  Essa capacidade dinâmica, sem ‘desgarrar’ e perder aderência, realmente surpreendeu este condutor.

Aliás, veja esse video-teste do ESC do Polo feito pelo Latin Ncap, organização independente que avalia as questões de segurança dos carros fabricados na América Latina.

A versão testada (TSI) tem controle eletrônico de estabilidade (ESC) de série. Nas demais, apenas opcional – e comprando um pack especial de segurança. No entanto, a plataforma nova do modelo permite agregar, como valor concreto, itens de segurança importantes, como bloqueio eletrônico do diferencial, que auxilia nas curvas e sistema de frenagem automática pós-colisão.

 


Vida a bordo

Foto: Volkswagen do Brasil

No geral, em relação à geração passada, o novo Polo cresceu 16,7cm no comprimento, 10cm no entre-eixos e 10cm na largura. Mas ficou 2,1cm mais baixo: prejudica os grandões e grandonas, mas reforça seu lado esportiva (e com estabilidade).

Quanto à ergonomia, o formato do assento e os ajustes de altura e profundidade do volante garantem bom conforto.

O quadro de instrumentos digital é fera, digamos assim – e demorará para surgir em outros carros populares (esse veio do Audi A3, marca do grupo Volkswagen).

O acabamento, boa parte à base de plástico rígido, não incomoda: há texturas variadas e sóbrias, conservadoras até.

 

TSi 1.0 Cidade Estrada
8 (etanol) / 11,6 (gas) 9,8 (etanol) / 14,1 (gas)

        

Fonte: Volkswagen do Brasil

 


Para saber mais

Controle eletrônico de estabilidade é um sistema que corrige derrapagens e recoloca o veículo na trajetória desejada/correta. Ele atua reduzindo, e mesmo interrompendo, a potência do motor e freando individualmente uma ou mais rodas – e isso sem qualquer intervenção do condutor. Quando é acionado, uma luzinha acende no painel .

 



 


custo-benefícioVolkswagenaviaçãopreçoTurbotorqueNovo PloTSI