">
*
 
 

Física é uma disciplina que conta uma história. É uma matéria que exigirá do seu filho capacidade de inferência e de entender uma situação por meio de exercícios. Ele deverá ser capaz de compreender o enunciado, imaginar o cenário contado e estabelecer uma estratégia.

É, portanto, uma excelente disciplina para auxiliá-lo na interpretação das questões.

“Hoje, as escolas cobram mais do que apenas a decoreba de fórmulas. Ainda temos alunos que acreditam que decorar regras fará com que eles sejam estudantes com excelentes resultados em física”, lembra o professor Luciano Araújo de Paiva.

Outra consideração relevante para este momento é saber que os conhecimentos em matemática são pré-requisitos para física. Então, já sabe: o estudo da outra disciplina não deve estar defasado. Ela pode ser o gargalo que está atrapalhando os resultados do seu filho em física.

Um exemplo que ilustra bem isso são as unidades de medida. Geralmente, os alunos simplesmente somam, diminuem, multiplicam ou dividem os números sem saber o que eles representam – fazem tudo no “piloto automático”."

Mas aplicar esse comportamento em física é um grande erro, porque muitas vezes o enunciado é apresentado em uma determinada unidade de medida e a resposta exige outra.

Assim, nos casos de defasagem em matemática, o pai tem dois caminhos a seguir: contratar um professor particular que faça as devidas revisões ou pedir ajuda a um amigo do seu filho que seja ótimo aluno. A estratégia escolhida deverá levar em conta o perfil do estudante.

Se seu filho for disperso, por exemplo, uma revisão com o colega de sala no recreio ou depois da aula, no pátio, não funcionará. O ambiente deverá ser considerado. Aqui cabe um professor particular. Mas, se seu filho for uma criança disciplinada e que apenas tem uma dificuldade pontual, a ajuda do amigo pode ser a melhor solução.

O professor Luciano reforça que, depois que ele tiver dominado a parte teórica, deve fazer exercícios mais difíceis e se concentrar neles. É sempre importante considerar o tempo de execução, pois a ideia é acertar o maior número de exercícios no menor tempo possível.

Mais do que nunca, o estudo distribuído pode ser aplicado aqui, pois ajudará na frequência de resolução e revisão de questões.

E não se esqueçam da dica da professora Cybele Gomes, mencionada na coluna sobre o estudo da química. Segundo ela, é necessário seguir alguns passos na execução das tarefas que envolvem cálculo: ler, extrair os dados, montar a operação, conferir se foi montada corretamente, calcular e posteriormente fazer a checagem do gabarito.

*A série O Que Você Precisa Saber Para Estudar Melhor se propõe a ajudar pais e alunos a descobrir a melhor forma de se preparar para cada uma das disciplinas da escola. Vamos abordar assuntos como rotina, ritmo, técnicas e apontar quais os erros mais comuns que não devemos cometer.


Christiane Fernandes é pedagoga e psicopedagoga, especialista em dificuldades de aprendizagem pela Universidade de Brasília (UnB). É fundadora da Filhos – Educação e Aulas (www.filhosweb.com.br), empresa que atua na área de educação oferecendo aulas particulares em casa há 13 anos. Possui ainda MBA em Gestão Empresarial com Foco em Estratégia pela Fundação Getulio Vargas.

Educaçãovestibularfísica
 


COMENTE

Ler mais do blog