Taça de vidro ou cristal? Sommelier explica as diferenças

Lucas Santiago veio a Brasília, a convite da Strauss Cristais, para um bate-papo com 40 convidados da RP Claudia Salomão

Myke Sena/ Especial para o MetrópolesMyke Sena/ Especial para o Metrópoles

atualizado 20/11/2019 20:19

As diferenças entre as taças de vidro e cristal extrapolam o quesito estético. Com a taça errada, o aroma e o paladar de vinhos e espumantes acabam sendo modificados, alterando completamente a experiência de degustar uma boa bebida.

Quem explica é o sommelier Lucas Santiago. A convite da empresa Strauss Cristais, ele esteve em Brasília neste mês para uma aula show na loja Blumenau, na Asa Sul. Os 40 convidados da relações-públicas Claudia Salomão e clientes da loja viram e degustaram na prática os ensinamentos do especialista.

Santiago explicou que, em muitos casos, explorar o melhor da bebida é mais importante do que o valor pago por ela.

“Muitas vezes, tomamos um vinho e não gostamos muito. Passado algum tempo, você toma de novo e fala ‘Nossa, ele está melhor!’. Pode ter certeza de que haverá uma relação com a taça em que ele foi servido”, assegurou o sommelier.

“Assim como servir a bebida na temperatura errada, a escolha da taça pode colocar por água abaixo todo o empenho de montar uma boa mesa”, avaliou.

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
Lara Torres foi uma das convidadas

Para demonstrar a diferença, Santiago explorou os sentidos dos convidados de diferentes formas:

Tato: as taças de cristal são mais leves e finas;
Visão: as de vidro têm maior espessura. Fica fácil ver a distinção comparando a boca e a haste delas. Há diferença, também, nas lágrimas da bebida;
Olfato: por ser mais poroso do que o vidro, o cristal quebra as moléculas presentes na bebida quando ela é agitada, levantando, assim, o perfume dela;
Paladar: o frescor e a acidez ficam mais presentes no cristal, aumentando a salivação e tornando o espumante mais aperitivo. Santiago dá a dica: “A gordura equilibra o sabor na boca, por isso servimos queijo junto.”

O sommelier explicou também que quanto mais curva a base do bojo da taça de espumante, melhor. Afinal, ela preserva as bolhas e tarda o tempo de oxidação da bebida – que dura, em média, de cinco a sete minutos.

O especialista terminou a noite dando algumas dicas de conservação das taças:

  • Evite deixar vinho tinto na taça de um dia para o outro. A chance de manchá-la é grande;
  • Depois de lavadas, invista no álcool 70% para remover toda a gordura da louça. “Algumas pessoas usam vinagre. Eu não gosto. Ele demora a evaporar e você corre risco de guardar a taça com o aroma do produto”, sugeriu;
  • O papel-filme pode ser um grande aliado para preservar as peças limpas. “É uma ótima solução para quem não tem o hábito de usar as taças frequentemente. Ele evita o acúmulo de poeira e preserva a taça lavada e polida até o próximo uso”, garantiu.

Depois da explicação, os convidados provaram a mesma bebida nas duas taças. A reação foi unânime: todos ficaram impressionados com a diferença. Certamente, após a experiência, nunca mais apreciarão um bom vinho da mesma forma.

Confira os cliques:

Lucas Santiago

 

Gabriela Helena da Silva e Sabrina Alves Torres

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
Cleucy Oliveira e Claudia Salomão

 

Lara Torres e Cyro Torres Júnior

 

Geórgia de Luca, Tatiana Janu e Mima Marys

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
Lucas Santiago

 

Lucas Santiago

 

Bethânia Nunes com Gildete, Auda e Lenice Inácio

 

Ana Luísa e Diego Liparizi

 

Maria Clara e Janaína Machado

 

Marina Lustosa

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

Marcio Salomão e Cyro Torres Junior

 

Kika Cardoso, Vanessa Almeida e Florinda Rueda

 

Carl Smith, Tatiane Smith, Gabriela Helena da Silva e Izabel Guerreiro

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
Caio Mendonça e Helena Vasconcellos

 

Gabriela Helena da Silva, Claudia Salomão e Sabrina Alves Torres

 

Keila Costa e Ricardo de Paula

 

Thaís Viana e Tarcyilla de Matos Nobre

 

Lucas Santiago

 

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
Lucas Santiago

 

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles

 

 

Claudia Salomão

 

Lucas Santiago

 

Ricardo de Paula e Lucas Santiago

 

Caio Mendonça e Lucas Santiago

 

Lucas Santiago e Carl Smith

 

Lucas Santiago

 

Lucas Santiago

 

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

SOBRE O AUTOR
Bethânia Nunes

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário Iesb em 2014. Trabalhou na produção da TV Brasília e no Correio Braziliense por três anos, onde atuou como repórter no site do veículo. Desempenhou a função de assessora de imprensa no Grupo Objetiva até março de 2018. Atualmente, produz a coluna de Claudia Meireles.

Últimas notícias