Novos ares: Maria Victória moderniza Shopping Gilberto Salomão

A jovem arquiteta faz parte da terceira geração de empresa familiar detentora de um dos endereços mais tradicionais da história de Brasília

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 14/11/2019 11:10

Maria Victória Salomão cresceu brincando nas áreas livres do Shopping Gilberto Salomão. Ícone de Brasília, o empreendimento pertence à sua família desde a construção, em 1967. Avós da arquiteta, Gilberto e Maria Salomão são pioneiros na capital federal e tiveram papéis importantes em compor a história da região.

Apesar de ter se formado em arquitetura, a primeira neta dos desbravadores de Brasília secretamente sonhava em trabalhar na empresa familiar. Ela começou de maneira sutil. Ao longo do tempo, se mostrou uma figura essencial para levar o local a um patamar mais contemporâneo, sem deixar de lado a essência.

De arquiteta a empresária

Graduada em arquitetura pelo UniCeub, a jovem ficou confusa sobre qual caminho seguir ao terminar o curso superior. “Comecei a conversar com minha mãe, com meu pai e meu avô. Pedi conselhos”, diz. Em busca de uma bagagem mais ampla, embarcou para São Paulo, onde realizou cursos de curta duração. Por três meses, Maria Victória estudou Empresas Familiares, Empreendedorismo e Investimento em Mercado Imobiliário na Instituição Insper.

Paralelamente aos estudos, a bela estagiou no escritório de arquitetura de Fernanda Marques, também na capital paulista. “Arquitetura é um curso supercompleto. Não me arrependo. Graças a Deus, veio no momento certo para mim”, relata.

No entanto, a experiência fez com que ela decidisse não atuar na área: “Em São Paulo, vi que não queria levar adiante isso de ser arquiteta no dia a dia, de montar um escritório e estruturar uma equipe. Fiquei muito aguçada para o outro lado, do empreendedorismo, de gestão”.

Maria Victória revela que sempre sentiu vontade de trabalhar com a família, mas tinha medo de comunicar o desejo. Entre as maiores preocupações, estava a reação dos familiares com a ideia. Ela não sabia se eles concordariam.

 

Conquistando seu espaço

O patriarca, Gilberto, acreditava que a neta poderia resolver as questões ligadas ao design. Inicialmente, o empresário perguntou se ela desenharia algumas placas para o shopping. “Lembro de falar: ‘Vô, mas, placa? Não sei desenhar isso’. Eu tenho uma noção estética do que funciona, porque sempre estive aqui desde pequena. Porém, como vou desenhar uma placa?”, recorda.

Sem contar a ninguém, Maria Victória deu o primeiro passo e foi em busca de designers gráficos e empresas que pudessem atender a demanda. “Decidi fazer um diagnóstico de alguns pontos que poderiam melhorar. São diversos aspectos, porque este é um espaço com 60 anos de história”, afirma. Foi um mês e meio de análise e o mesmo intervalo de tempo para entrevistar profissionais e fazer pesquisas.

“No meio do caminho, pontuei vários detalhes que poderiam ser feitos. Vi que não havia familiar no setor de funcionamento interno”, explica a arquiteta, classificando a performance do estabelecimento como orgânica.

Por fim, Maria Victória anexou todas as novas ideias com orçamentos e mudanças necessárias a um relatório. O documento foi entregue ao avô. Segundo ela, seu Gilberto gostou e ficou impressionado, e o pai, Márcio, aceitou fechar a proposta.

Renovação

A renovação começou aos poucos. No caminho, a profissional encontrou algumas limitações. Com seis décadas em atividade, o espaço Gilberto Salomão foi edificado aos poucos. Embora houvesse dificuldade de se reinventar, segundo Victória, o shopping demonstra a personalidade de seu avô, uma pessoa tradicional.

“Vim para trazer o novo, mas mantendo o que temos, a nossa identidade. O empreendimento se chama Gilberto Salomão e tem tudo a ver com o local. O Gilberto [shopping] carrega características do meu avô. Um homem superfamília, que gosta de casa cheia, ama agradar a todos e quer ver todo mundo feliz. Vejo esse pilar familiar no Gilberto, quero manter essa essência”, frisa Victória.

Novidades

A reforma está em andamento, e sem pressa. O primeiro passo da empresária foi mudar o sistema de sinalização e reparos. O objetivo é trazer ares mais contemporâneos. Para começar a renovação, escolheram a torre comercial, o Bloco F.

“O meu curso foi essencial. Querendo ou não, quando você faz uma reforma, as pessoas enxergam uma mudança e um cuidado maior. Falavam: ‘Nossa! Ficou tão legal!’. E passaram a associar o projeto a minha formação em arquitetura'”, conta Victória.

A intervenção foi feita por partes, com início no prédio comercial. O banheiro principal está em processo de revitalização. O próximo da lista será o banheiro secundário e os uniformes dos colaboradores do shopping.

Mantendo a tradição

O Shopping Gilberto Salomão é tradicional na história de Brasília, um verdadeiro local de encontro de gerações.

O patriarca, Gilberto, sempre recebe os amigos para um café. Os moradores do Lago Sul veem o lugar como um espaço de apoio para todo tipo de necessidade.

“Cada vez mais, quero fortalecer essa referência de ser um ambiente agradável e democrático para passear, e também facilitar a vida das pessoas. Algumas falam: ‘Vou ao mercado’, e acabam indo à farmácia ou comprando um presente”, ressalta.

No futuro, a arquiteta deseja aprimorar o local ao lado da família, aportando seu olhar millennial. Ela pretende exaltar essa essência nos pilares do shopping e dar continuidade à tradição a esse legado. Vários moradores do Lago Sul carregam lembranças nostálgicas da infância e da adolescência no centro de compras.

 

 

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

SOBRE OS AUTORES
Claudia Meireles

Acumula temporadas de estudos nos Estados Unidos, França e Inglaterra. Em Nova York, trabalhou no mercado de artes. Após uma década vivendo no Rio de Janeiro, onde atuou na Galeria Luciana Caravello, decidiu retornar a Brasília. Atualmente assina uma coluna social no portal Metrópoles.

Rafaela Amaral

Brasiliense, formada desde 2017 em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Trabalhou como repórter no site e na revista GPS|Brasília. Assumiu o cargo de relações públicas em eventos realizados pelas empresas R2 Produções e Manifesto Lab. Atuou como diretora de marketing do site e da empresa Amanda Brasil. Atualmente, cursa pós-graduação em gestão em marketing no Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC) e produz a coluna da Claudia Meireles.

Últimas notícias