Bonita e sustentável, decoração com frutas ganha espaço em festas

Luiz Pedro agradou ao trocar as tradicionais flores por meia tonelada de frutas para decorar o casamento de César Serra e Dionathan Santos

Mario Miranda/ Plínio Ricardo FotografiaMario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

atualizado 16/01/2020 11:31

Nada de orquídeas, rosas, lírios ou peônias. Em vez das tradicionais flores, as frutas têm caído no gosto dos noivos e ganhado espaço nos casamentos. Além da beleza, elas dão um toque original e sustentável às cerimônias, afinal, podem ter um destino no dia seguinte, garante o decorador Luiz Pedro.

Ele foi o responsável pelo projeto da união do cerimonialista César Serra com o fotógrafo Dionathan Santos, que contou com aproximadamente meia tonelada de frutas.

A cerimônia, realizada em Gramado, no Rio Grande do Sul, no último sábado (11/01/2020), teve arranjos de uva, limão-siciliano, pêssego, maçã e morango espalhados por todo o salão de festas. A proposta agradou aos convidados.

“Vejo que estamos tomando um rumo em que as pessoas perderam a noção do valor das coisas e exageram na quantidade das flores, por exemplo. A tendência, agora, é que elas passem a ter mais respeito pelos recursos naturais e pelo dinheiro. Em diversas situações, você pode fazer algo diferente para ter um custo melhor”, assegura Luiz Pedro.

Sustentabilidade é a palavra da vez. “Dá, tranquilamente, para reaproveitar as frutas no dia seguinte, enquanto as flores vão para o lixo”, destacou. César e Dionathan doaram as frutas para entidades assistidas pela igreja Santo Antônio, em Gramado.

“Optamos por um casamento que tivesse a nossa cara. O nosso país é muito rico e precisamos valorizar o produto brasileiro”

César Serra

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

O decorador garante que a tendência é bem-vinda para todos os estilos de cerimônia, das mais clássicas às rústicas. “Fica mais interessante em casamentos com uma proposta rústica, mas, dependendo da montagem, pode entrar em uma celebração praiana e até mesmo clássica.”

A festa de César e Dionathan seguiu uma linha mais rústica, com muitas uvas, lembrando aos convidados que eles estavam no estado que é o maior produtor da fruta no país. Elas surgiram em meio a arranjos suspensos com folhagens e nas mesas.

Limão-siciliano, pêssego e coco têm tudo a ver com o clima praiano. A maçã, a ameixa e a uva ganham espaço nas festas com estilo mais clássico.

Vale distribuir o elemento por todo o salão de festas, preenchendo o ambiente: nas mesas dos convidados, bufê e mesa de doces, sempre em vasos. Entre as alternativas, há os de louça portuguesa, cerâmica vietnamita ou de vidro.

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

Na hora de escolher a fruta, é preciso levar em consideração a durabilidade. O morango, por exemplo, precisa estar em local refrigerado. A sugestão é colocá-lo na decoração da sala com a mesa dos doces, minutos antes de ela ser aberta aos convidados.

Luiz Pedro assegura que a escolha pelas frutas reduz o orçamento em aproximadamente 30% se comparado ao de uma festa com arranjos florais. A Ceasa ainda é a melhor opção para comprar o produto.

“É importante encomendar com antecedência para garantir que o fornecedor terá a quantidade desejada na data. Busque as frutas com dois ou três dias de antecedência”, ressalta.

Para quem não abre mão das flores, Luiz lembra que é possível agregá-las ao projeto em lugares pontuais, misturadas com folhagens, por exemplo.

Esperamos que a moda pegue!

Confira mais imagens para se inspirar:

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Mario Miranda/ Plínio Ricardo Fotografia

 

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

SOBRE OS AUTORES
Bethânia Nunes

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário Iesb em 2014. Trabalhou na produção da TV Brasília e no Correio Braziliense por três anos, onde atuou como repórter no site do veículo. Desempenhou a função de assessora de imprensa no Grupo Objetiva até março de 2018. Atualmente, produz a coluna de Claudia Meireles.

Claudia Meireles

Acumula temporadas de estudos nos Estados Unidos, França e Inglaterra. Em Nova York, trabalhou no mercado de artes. Após uma década vivendo no Rio de Janeiro, onde atuou na Galeria Luciana Caravello, decidiu retornar a Brasília. Atualmente assina uma coluna social no portal Metrópoles.

Últimas notícias