Pesquisa revela que 45,8% da população não pratica atividade física

Estudo revelou ainda que só em 2017 mais de 30 mil pessoas morreram em decorrência de doenças relacionadas ao sedentarismo

Bodytech/DivulgaçãoBodytech/Divulgação

atualizado 16/04/2019 14:55

É comprovado que fazer atividade física traz inúmeros benefícios para a saúde, incluindo a diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e câncer de mama e cólon. A prática de exercício pode até retardar o início de demência, além de ajudar na qualidade de vida. Apesar de tudo isso, um estudo realizado pelo Ministério da Saúde revelou que 53% da população brasileira está acima do peso e 45,8% não pratica atividade física regularmente.

Ainda de acordo com a entidade, apenas 37% dos moradores de capitais brasileiras se exercitam mais de 2h30 por semana, tempo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O mesmo estudo apontou que só em 2017, 34.273 pessoas morreram por causa do diabetes, câncer de mama e doenças cardiovasculares – doenças relacionadas ao sedentarismo.

Os números mostram que os homens se exercitam mais do que as mulheres, somando 43,4% contra 31,5%. O sedentarismo aumenta entre as crianças, de até oito anos, apenas 23,3% delas pratica alguma atividade regular. Maiores de 12 anos com atividades regulares representam 47% do total.

A idade não foi empecilho para que Regina Lima, de 56 anos, mantivesse uma rotina ativa de exercícios. Com a chegada da aposentadoria, ela buscou ocupar o tempo de uma forma saudável e escolheu praticar natação. Já era adepta da hidroginástica antes, mas não sabia nadar. Venceu o medo e tornou-se atleta com acompanhamento profissional, e participou de campeonatos. Regina coleciona troféus e medalhas em concursos regionais e nacionais. Entre eles, o 3º lugar no Ranking Feminino de 55 anos de 2018, da Associação Goianiense Master de Natação (AGMN). E, recentemente, conquistou o 2º lugar no Circuito Abramn, da Associação Brasiliense Master de Natação. “A minha qualidade de vida melhorou demais. Os meus checkups estão ótimos, os médicos me elogiam sempre”, ressalta orgulhosa. Regina complementa que “é maravilhoso estar bem com si mesmo, com a sua saúde e em paz com o espelho”, afirma.

Assim como a atleta, a estudante Camila Castro de Almeida, de 17 anos, se mantém ativa. “Eu faço abdominais, leg press, agachamento, mesa flexora, cadeira abdutora e adutora. Graças a esses exercícios eu percebi uma grande diferença no meu cotidiano e não consigo mais viver sem malhar”, relata.

Conheça Regina e Camila:

Fique atento!
A OMS recomenda 150 minutos por semana de atividade física moderada ou 75 minutos de exercícios intensos. Mas, nem todo mundo tem essa disponibilidade. Pensando nisso, Welbert Lucas, professor de musculação da Bodytech Asa Norte preparou três dicas de exercício para se fazer em casa.

Bodytech/Divulgação
Welbert Lucas, professor de musculação da Bodytech Asa Norte
    Confira:

  • O primeiro exercício é a prancha isométrica: vire-se de barriga para baixo e apoie-se sobre os antebraços mantendo os cotovelos e os ombros alinhados. Com as pernas estendidas e ligeiramente afastadas, eleve o quadril, mantendo o corpo em linha reta. Contraia o abdômen e permaneça nessa posição pelo máximo de tempo possível. Repita três vezes descansando um minuto entre cada série.
  • O segundo é o agachamento: primeiramente afaste os pés até a largura dos ombros, agora imagine que irá sentar, projete o quadril para trás e desça mais ou menos até o alinhamento do quadril com os joelhos. É importante não colocar a força ao descer na ponta dos pés e sim nos calcanhares, e em caso de algum desconforto nos joelhos, você pode descer menos ou até mesmo fazer esse exercício sentando e levantando em uma cadeira. Realize quatro séries com o máximo de agachamentos que conseguir fazer descansando um minuto entre cada série.
  • O terceiro é a flexão: vire-se de barriga para baixo, apoie-se sobre os joelhos e mantenha as mãos um pouco mais afastadas além da linha dos ombros, agora flexione os cotovelos até o peitoral ficar próximo ao chão e suba novamente. Você pode dificultar o exercício retirando os joelhos do chão e mantendo as pernas estendidas. Realize quatro séries com o máximo de flexões que conseguir fazer descansando um minuto entre cada série.

“Você pode fazer esse treino em dias alternados e em caso de qualquer desconforto busque orientação de um profissional de Educação Física”, finaliza Welbert Lucas.

 

SOBRE O AUTOR
Últimas notícias