Atividade física pode ajudar na prevenção do câncer de mama

Personal trainer explica os melhores exercícios a serem feitos. Manter hábitos saudáveis é essencial.

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 31/10/2019 18:28

Durante todo o mês de outubro, entidades de todo o país se uniram em prol do combate e prevenção ao câncer de mama. O outubro rosa busca ainda a conscientização da população sobre a importância de manter bons hábitos, como a prática de atividade e uma alimentação saudável.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, até o fim deste ano, mais de 60 mil pessoas serão diagnosticadas com esse tipo da doença, índice que corresponde a 28% do total de casos de câncer registrados no país. Conforme o Inca, esse é o tumor mais incidente entre as mulheres, depois do de pele-não melanoma. Mundialmente os dados são ainda mais alarmantes.

De acordo com o Globocan 2018, um levantamento da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer, o câncer de mama afeta 2,1 milhões de pessoas por ano e é o quinto que mais mata.

Atividade física e câncer de mama

O Inca aponta que praticar exercícios regularmente ajuda a equilibrar os hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, além de fortalecer as defesas do corpo e manter o peso adequado. Auxiliando na prevenção de cânceres como intestino, endométrio e mama.

Um estudo, realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), em parceria com a Universidade de Harvard revelou que o estilo de vida não saudável do brasileiro é responsável por 114 mil casos de câncer (27% do total) e 63 mil mortes decorrentes da doença (34%), anualmente.

A Organização Mundial da Saúde, a OMS, recomenda 150 minutos por semana de atividade física moderada ou 75 minutos de exercícios intensos. Para Anfrísio Mariani, personal trainer e instrutor de mind da Bodytech Asa Norte, uma ferramenta crucial para a prevenção, tratamento e recuperação de pessoas com câncer de mama é a musculação, que auxilia no fortalecimento, aumento da densidade mineral óssea, da massa muscular, e entre outros benefícios, fazendo com que o paciente, que normalmente perde bastante peso durante o tratamento, volte aos padrões de normalidade.

Movimente-se

“Se você está começando a musculação é mais importante se apegar a técnica do que aos pesos”, diz Mariani. Primeiro faça exercícios que trabalhem várias articulações como agachamentos, remadas e supinos, pensando em fazer 15 repetições para melhorar o movimento em si com um peso que você fique levemente cansado. Além disso, faça também exercícios com foco no centro do corpo para garantir a estabilidade e diminuir o risco de lesões de coluna.

Com o tempo vá diminuindo o número de repetições e aumentando gradativamente a carga sempre respeitando o seu limite e a técnica do movimento. Também é interessante fazer
alongamentos para ganhar mobilidade nas articulações e exercícios aeróbicos como corridas para melhorar o condicionamento físico.

SOBRE O AUTOR
Últimas notícias