Manuela D’ávila propõe à oposição travar pauta governista no Congresso

Reação veio após Carlos Bolsonaro dizer que "a transformação que o Brasil quer não será rápida por vias democráticas": "Golpismo se impõe"

atualizado 11/09/2019 7:34

Gabriel Foster / Metrópoles

A ex-presidenciável Manuela D’ávila (PCdoB) reagiu ao comentário do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). O vereador disse que “a transformação que o Brasil quer não será rápida por vias democráticas”. Manuela discordou e propôs que a oposição trave a pauta governista no Congresso. As mensagens foram publicadas nesta terça-feira (10/09/2019).

No Twitter, Manuela, que fez parceira com Fernado Haddad (PT) no segundo turno da corrida eleitoral de 2018, disse que o “golpismo se impõe”. “Oposição, toda ela, a de centro também, deveria entrar em obstrução no Parlamento até o presidente da República desmentir a declaração do filho. Nada de iniciativa do governo deveria entrar em pauta ou ser votado”, escreveu.

Em uma série de quatro publicações, Manuela subiu o tom contra Carlos Bolsonaro. “Um dos filhos do presidente, que Bolsonaro já disse mais de uma vez que fala em seu nome, ameaça o país com um golpe. Os inimigos do que resta de Estado Democrático de Direito tramam isso de dentro dos palácios, com todas as vantagens e possibilidades de quem exerce o poder”, prosseguiu.

Ela ainda levantou suspeitas da atuação do clã Bolsonaro. “A unidade dos democratas de todos os matizes é urgente. Os limites da nossa democracia e das instituições que lhe são características são reais. Mas o que esses tiranetes preparam, acreditem, é muito pior”, emendou.

Manuela finalizou as críticas alertando para o risco de “golpe”. “Conhecemos a história do Brasil. O Parlamento é sempre o primeiro a ser fechado quando o golpismo se impõe. Desde 1823”, encerrou.

Guilherme Boulos (PSol), que também concorreu ao Palácio do Planalto em 2018, criticou a fala. “Expressa o chorume mais autoritário e doentio. Não fosse filho do presidente mereceria apenas o desprezo. Não é o caso. Pode estar vocalizando um desejo de quem governa o país. Por isso, deve ser enfrentado com firmeza! Ele, sua família e os agregados milicianos”, rebateu.

Carlos Bolsonaro escreveu no Twitter, nessa segunda-feira (09/09/2019), que “por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes”.

Veja a mensagem de Manuela D’ávila:

Últimas notícias