A arte argentina de inventar o morar com identidade

Entre os destaques da decoração dos hermanos estão o mix de móveis clássicos com o estilo intelectual e despojado

atualizado 28/06/2019 12:33

Existe algo sobre o estilo argentino de morar que sempre me fascinou. Sigo alguns perfis de design dos nossos hermanos latinos e tive a oportunidade de visitar o país algumas vezes: sempre me encanto com a forma muito orgânica e delicada com a qual eles mesclam o amor pela leitura e pela música com a decoração.

Os argentinos inventam o morar com base nas coisas que amam: uma boa música, um bom livro, boas companhias. A casa é iluminada, cheia de referências e memórias. Sem muitos planos. A decoração é desvinculada da ostentação, do ego. A gente entra na casa deles e se sente tão à vontade quanto estimulado a explorar as informações visuais.

Um verdadeiro talento em criar ambiente leves que tem um certo ar intelectual que me parece fascinante. A forma despojada com a qual escolhem os móveis antigos. A forma como misturam estilos de diferentes fases do design, sempre de uma maneira despretensiosa.

Esse total descompromisso com a estética esforçada, as tendências e o contemporâneo, é uma bela lição de como morar com mais verdade. Como a casa pode refletir quem nós somos nas nossa essência.

Com eles aprendi a necessidade do espaço para criar e, especialmente, ser. A pensar em casas que transbordam a identidade dos moradores em poesia. (As fotos desse post são todas de casas argentinas, do belíssimo blog casachaucha)

Últimas notícias