*
 

Fiel à tradição, o Pacotão acontece neste domingo (11/2) com concentração na 302 Sul — caminhando até a 504 Sul via W3, na contramão –, em clima de protesto. Desta vez, o alvo foi a reforma da Previdência.

“São 40 anos de Pacotão. O bloco foi fundado por jornalistas com o objetivo de fazer críticas políticas. Na época, os protestos eram direcionados à ditadura”, afirma Joca Pavaroti, organizador. “O tema deste ano são marchinhas contra os governantes. Temer é o foco principal”, completa.

A escritora Jô Pessoa, 64 anos, presença clássica no bloco, elogia as motivações do evento. “Já desfilo no pacotão há quatro décadas e sempre me identifiquei com as críticas políticas”, conta.

Ramon dos Santos, 60, e Raimundo Nonato, 63, são outras duas figuras clássicas do Pacotão. Um dos primeiros casais homossexuais a desfilarem no bloco, há 30 anos, eles refletem sobre a importância da iniciativa nos tempos atuais. “O Pacotão luta contra a política desde a época da ditadura. Não temos opção e, por ser ano eleitoral, a crítica proposta pelo bloco se torna ainda mais importante”, explica Raimundo.

De acordo com a expectativa dos organizadores, cerca de 10 mil pessoas devem marcar presença no Pacotão.

Confira mais fotos do Pacotão:

 

 

COMENTE

protestospacotãocarnaval 2018
comunicar erro à redação

Leia mais: Carnaval