Witzel pede para Bolsonaro reconsiderar ida da Ancine para Brasília

Governador sustenta que "forte tradição" do RJ no setor audiovisual e geração de empregos fazem com que a agência não deva sair do estado

Carlos Magno/Gov RJCarlos Magno/Gov RJ

atualizado 03/08/2019 14:52

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), pediu neste sábado (03/08/2019) ao presidente Jair Bolsonaro, pelo Twitter, para que ele “reconsidere” a transferência da Agência Nacional do Cinema (Ancine) do estado para Brasília. Segundo Witzel, que é aliado de Bolsonaro, mas tem a intenção de concorrer à Presidência, o Rio tem “grande tradição no setor audiovisual e a dinâmica do órgão federal é importante para o RJ gerar emprego e fomentar o turismo.”

A ideia de transferir a Ancine para a capital federal foi confirmada pelo presidente no dia 18 de julho, quando, após se reunir com o ministro da Cidadania, Osmar Terra, Bolsonaro disse que a mudança havia sido sugerida pelo chefe da pasta. Foi nessa ocasião que Bolsonaro declarou que não poderia admitir o uso de dinheiro público para fazer filmes “como o da Bruna Surfistinha”

No mesmo dia, o mandatário assinou a transferência do Conselho Superior de Cinema, responsável pela política nacional de audiovisual, do Ministério da Cidadania para a Casa Civil. O objetivo foi aumentar a influência do Palácio do Planalto sobre o órgão.

Witzel, que é do PSC, tem deixado deputados estaduais do PSL, partido do presidente, insatisfeitos por causa da sua aproximação com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella. Ele reluta em anunciar publicamente um apoio ao pré-candidato da legenda à prefeitura da capital, o deputado estadual Rodrigo Amorim. O PSL é a principal base de sustentação do governo na Assembleia Legislativa (Alerj).

O jornal Estado de S. Paulo mostrou, na edição deste sábado, que a nomeação do filho do governador para uma coordenadoria da gestão municipal ilustra essa aproximação com Crivella. Apoiar a reeleição do atual prefeito é uma das opções de Witzel para a eleição do que vem.

Últimas notícias