Weintraub: federais têm plantações “extensivas” de maconha. Vídeo

Sem provas, ministro da Educação também disse que laboratórios de química de universidades viraram "laboratórios de drogas sintéticas"

atualizado 22/11/2019 13:02

Weintraub tirando óculo de memeReprodução/Redes Sociais

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou uma entrevista a um site chamado JornaldaCidade Online, hoje de uma empresa com sede no Rio Grande do Sul, com viés assumidamente de direita, para afirmar, sem oferecer nomes ou qualquer prova, que a autonomia das universidades federais resultou na existência de “plantações extensivas de maconha” e de laboratórios de química transformados em centros de produção de drogas sintéticas.

“Metanfetaminas”, chega a esclarecer o ministro. Responsável direto pelo ensino superior no país, ele chama as instituições federais de ensino superior de “madrassas” [escolas de formação islâmica, acusadas em alguns países de estimular a formação de extremistas e terroristas] e dá sua receita para diminuir os problemas que alega estar encontrando na pasta: diminuir a autonomia das universidades e liberar a entrada de policiais nos campi universitários país afora.

Veja o trecho liberado da entrevista:

No vídeo, ele prossegue: “Porque orgânico é bom contra a soja, para não ter agroindústria no Brasil, mas na maconha deles eles querem toda a tecnologia que tem à disposição”.

Weintraub avança, ainda sem oferecer nomes de instituições ou informações sobre os crimes que aponta, para acusar outra área das instituições de ensino superior de malfeitos. “Você pega laboratórios de química, uma faculdade de química não era um centro de doutrinação… desenvolvendo drogas sintéticas, metanfetamina, e a polícia não pode entrar nos campi. O desafio é esse. Foi criada uma estrutura muito bem pensada, por muito tempo”, insistiu.

Não chegou a dizer exatamente o que seria essa estrutura, quem a concebeu e por quanto tempo esteve em processo de consolidação.

Últimas notícias