*
 

A história de duas apaixonadas pela leitura se cruzaram em outubro. De um lado, Maria Ilza Melo, professora de português de Bom Sucesso (MG), queria resgatar a autoestima dos alunos da Escola Estadual Antônio Carlos de Carvalho e, para isso, teve a ideia de revitalizar um espaço da escola, embaixo de uma amoreira-sete-copas, e transformá-lo em uma área de leitura. Mas não tinha condições para realizar isso e fez um pedido no site Quero na Escola – Especial Professor, projeto em parceria com a Fundação SM.

Do outro lado, estava Lilian Camargo, que cuida de um projeto de promoção de leitura e escrita, chamado Linhas. A empresária, do Paraná, se encantou pelo projeto proposto por Maria Ilza e o coração dela “amoleceu”. “Falei para mim mesma: ‘Tenho que ir para lá'”, disse ao blog Quero na Escola.

Lilian, então, contratou um marceneiro para fazer a casinha de madeira e um grafiteiro se mobilizou voluntariamente para fazer obras no muro próximo à árvore. Ao chegar na escola, a empresária foi às lágrimas. “A escola inteira se preparou para nos receber. A diretora fez um poema! Chorei várias vezes aquele dia”, disse.

De acordo com Maria Ilza, a ideia é continuar motivando os alunos e até que eles produzam um livro coletivamente. “É um projeto de longo prazo. Queremos ver nossos alunos crescendo, sendo protagonistas de suas histórias”, afirma. Lilian diz que continuará a ser voluntária da leitura. “Sinto que estou participando de algo muito maior. Ao me juntar a esses, ficamos todos mais fortes”, diz.