Vídeo: Rio faz festa-teste com 4 mil pessoas; especialistas divergem opiniões

Festa aconteceu no Parque dos Atletas, na zona oeste do RJ, e teve autorização da prefeitura. Multidão estava sem máscara e distanciamento

atualizado 13/10/2021 14:54

Divulgação/Redes sociais

Rio de Janeiro – A Prefeitura do Rio de Janeiro autorizou um evento-teste no último sábado (9/10), na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. A “rave-teste” contou com a presença de mais de 4 mil pessoas.

A Festa Esbórnia, que foi liberada pela prefeitura, exigiu comprovante de vacinação com duas doses ou dose única e teste de Covid-19 realizado até 48h antes do evento. Os participantes serão monitorados por 14 dias.

Em vídeos e imagens que circulam nas redes sociais, é possível ver as pessoas sem máscara e sem distanciamento social na rave-teste. A multidão se divertiu ao longo da noite no Parque dos Atletas.

Assista ao vídeo: 

Especialistas divergem

Especialistas divergem opiniões sobre a realização do rave-teste neste momento. A pneumologista e pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcomo afirma que, apesar de ser um evento para testar a propagação do vírus, as aglomerações ainda podem ser muito perigosas.

“Não me parece plausível que 4 mil pessoas jovens, sem máscara, tenham sido checadas quanto ao passaporte de vacinação e, eventualmente, até com teste de Covid. Mas, ainda que isso tenha ocorrido, sabendo nós que esses testes rápidos, feitos na hora, tem uma sensibilidade que deixa muito a desejar. Eu consideraria ainda essas aglomerações muito perigosas”, disse ao Bom Dia Rio.

Já a presidente da Sociedade de Infectologia do Estado Rio de Janeiro, Tânia Vergara, defende que o evento é válido, já que os participantes serão monitorados.

“As pessoas serão rastreadas após o evento para o aparecimento de Covid. Espero que sejam rastreadas não só elas, como as pessoas que tiverem eventuais contatos nos próximos 15 dias. Porque essas pessoas também podem levar a doença para alguém. Então, eu acho que é um teste que vale a pena”, avalia.

Em nota, a organização da festa diz ter seguido todos os protocolos de segurança e que todos os participantes apresentaram documentos de vacinação e teste para acessar a festa. Duas pessoas positivaram para Covid e não puderam acompanhar o show. Além disso, de acordo com a empresa, os dados das 4 mil pessoas serão encaminhados para a Secretaria Municipal de Saúde para o monitoramento.

“Ao contrário de opiniões baseadas em achismos como da pneumologista e pesquisadora Margareth Dalcomo, em sonora para o Bom Dia Rio desta segunda-feira, dia 11, todos os participantes e colaboradores que participaram da festa Esbórnia fizeram o teste para a Covid-19 no período de até 48 horas antes do evento. Os exames e o comprovante vacinal de todos foram checados um a um pela produção do evento”, afirma a empresa.

0

Últimas notícias