Vídeo: carro funerário volta para buscar corpo “esquecido” no meio da rua

A dona de casa Edna Souza diz que ligou para a polícia e, depois de 15 minutos, viu o mesmo veículo voltando em alta velocidade ao local

atualizado 13/11/2020 19:11

Reprodução

Imagens mostram o exato momento em que funcionários de uma agência funerária voltam para buscar um corpo “esquecido” após cair do carro que o transportava. O caso aconteceu na última segunda-feira (09/11), na rua Carlos Varela, no município de Cruzeiro, interior de São Paulo.

A dona de casa Edna Souza estava no momento em que se deparou com a cena. Ela disse ao Uol que os agentes só perceberam que o corpo tinha caído ao chegarem no velório e se depararem com o carro vazio.

A mulher conta ainda que o erro da funerária foi passar pela rua íngreme em alta velocidade e que daria para fazer o mesmo caminho sem passar por aquela via para chegar até o cenitério, que fica a pouco mais de 1 km de distância.

“Eu estava descendo a rua quando o carro da funerária passou por mim. E achei estranho, porque essa funerária não é de Cruzeiro. Depois [que o caixão caiu], um senhor subiu até lá e verificou que tinha um corpo”, disse Edna.

Edna Souza ainda diz que ligou para a polícia e, depois de 15 minutos, viu o mesmo carro funerário voltando em alta velocidade ao local.

“Estava correndo tanto que quase acertou o caixão. A polícia chegou, eu avisei e eles pararam para pegar o corpo”, disse a mulher.

“Pelo tempo que demorou para [os agentes funerários] voltarem, eles só se deram conta [da falta do corpo] quando chegaram ao velório. Quando fui embora, eu passei na frente do cemitério e vi uma família lá”.

O caso viralizou com um vídeo compartilhado por Edna no Facebook e ela declarou que chegou a receber críticas de algumas pessoas por ter divulgado o que houve.

Veja o vídeo:

Apesar das criticas, a mulher diz que só fez isso pela falta de respeito com a família da vítima. “Tem muita gente me criticando. Mas se fosse comigo, se fosse a minha mãe, eu ia ficar muito triste com a falta de respeito”, disse.

0

Mais lidas
Últimas notícias