Vídeo: Câmara discutirá participação de atletas trans em competições, diz Felipe Carreras

Presidente da Comissão do Esporte, deputado federal afirmou que a Casa vai ouvir atletas e especialistas para legislar sobre o assunto

atualizado 21/08/2021 7:05

Entrevista Felipe Carreras

Presidente da Comissão do Esporte e relator do projeto de atualização da Lei Pelé, o deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) afirmou, em entrevista ao Metrópoles, que a Câmara dos Deputados discutirá a participação de atletas transgêneros em competições esportivas.

“É um assunto que precisa ser estudado, ser debatido. E é preciso ter legislações que protejam e que sejam justas”, afirmou. “A Câmara tem que fazer esse papel e nós queremos ouvir. Ouvir os atletas que estão nessa situação de reivindicação e ouvir a ciência”, disse (confira a partir de 9’30”).

Para o parlamentar, a partir do processo de escuta será possível “tomar uma decisão em conjunto” sobre “leis que protejam e garantam condições de igualdade nas competições”.

Confira:

O debate ganhou força com a participação de esportistas transgêneros nas Olimpíadas de Tóquio. Atleta canadense, Quinn se tornou a primeira pessoa trans e não binária a conquistar uma medalha olímpica após a vitória da seleção feminina de futebol do Canadá.

Levantadora de peso da Nova Zelândia, Laurel Hubbard foi a primeira mulher transgênero a competir nas Olimpíadas. No Brasil, a atleta Tiffany Abreu é a primeira atleta trans a jogar um campeonato de alto nível ao disputar a Superliga Feminina de Vôlei.

Investimentos

O parlamentar destacou a importância de mais investimentos em atletas em formação no país e a necessidade de uma descentralização dos recursos, já que os maiores montantes se concentram no Sul e Sudoeste e financiam, principalmente, atletas homens.

“Mais de 70% dos recursos da Lei de Incentivo Federal ao Esporte ficam no eixo Sul e Sudoeste”, afirmou. De acordo com ele, medidas para garantir uma melhor distribuição dos investimentos estão em discussão na Comissão Especial criada para discutir a Lei Pelé.

Sobre a ampliação das verbas destinadas a atletas do sexo feminino, o deputado afirmou que estão em discussão ações para permitir o acesso delas a cargos nas confederações e federações esportivas. De acordo com ele, nesses espaços são tomadas decisões sobre recursos.

“A mulher tem que estar presente. É uma forma que a gente pode corrigir [a desigualdade] e nós estamos estudando e promovendo audiências públicas para discutir essa questão”, disse.

Ao comentar o desempenho dos esportistas brasileiros nas Olimpíadas de Tóquio, Carreras parabenizou os atletas, mas apontou uma estagnação do país em relação à edição de 2016 dos jogos.

“Se não existissem duas novas modalidades, o surfe e o skate, o Brasil teria menos medalhas que na outra edição, na Olimpíada do Rio de Janeiro, que nós sediamos. Foram 19 medalhas. Se nós subtrairmos 4 medalhas, três do skate e uma do surfe, seriam 17. A gente liga um sinal de alerta de que nós não evoluímos”, declarou.

Durante a entrevista, Felipe Carreras avaliou a atuação do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), comentou pautas em tramitação na Casa e defendeu que o PSB tenha um candidato próprio à Presidência da República nas eleições de 2022.

Confira:

Mais lidas
Últimas notícias