metropoles.com

“Viado imprestável”: mãe é presa por homofobia ao agredir filho no RJ

Caso de homofobia aconteceu quando a mãe descobriu que o filho trocava mensagens amorosas com outro homem. Vítima foi socorrida pelos avós

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação
delegacia-rj
1 de 1 delegacia-rj - Foto: Divulgação

Uma mulher foi presa depois de agredir com um cabo de vassoura e xingar o próprio filho de “viado imprestável”, no Rio de Janeiro, ao encontrar mensagens do rapaz com um outro homem. A ocorrência foi registrada pelos avós da vítima, que a abrigaram depois do episódio de violência.

De acordo com a 26º Delegacia de Polícia, do bairro Todos os Santos, o filho da agressora, um adolescente de 16 anos, fugiu para a casa dos avós maternos após reação homofóbica da mãe. A parente, porém, chegou até casa dos pais e os xingou de “velhos” e “parasitas” quando descobriu que o garoto estava escondido na residência.

Depois das violências sucessivas, os idosos decidiram acionar a Polícia Civil do estado, que foi até o local para apreender a mulher.

“É triste a constatação de que, ainda atualmente, haja agressões de pais contra filhos em razão de orientação sexual. O pai da acusado e avô da vítima, presenciou todo o ocorrido e prestou declarações contra a própria filha”, contou o delegado Felipe Santoro, titular da 26º DP, ao jornal O Globo.

A corporação informou que, durante a abordagem, a mãe também ofendeu e desacatou os policiais civis presentes. De acordo com Santoro, a responsável pelo adolescente o proibia de ir à escola por não aceitar a orientação sexual do filho.

“A prisão da mãe é essencial para garantir a liberdade do jovem, bem como seu desenvolvimento e sua tranquilidade psíquica. Os avós maternos, pais da acusada, que acolheram o adolescente, pretendem solicitar sua guarda”, adicionou o delegado.

A agressora responderá pelos crimes de racismo, com motivação homofóbica, injuria qualificada contra idoso, lesão corporal com violência doméstica e desacato contra os policiais civis. O caso  segue sob a responsabilidade da 26º DP.

Compartilhar notícia