Veja o que Jair Bolsonaro mais falou em seu discurso na ONU

O líder brasileiro se pronunciou na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas. O (M)Dados fez uma análise da fala dele nesta terça

Stephanie Keith/Getty Images

atualizado 24/09/2019 15:31

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) discursou, na manhã desta terça-feira (24/09/2019), na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Em 31 minutos e 25 segundos, pronunciou 2.779 palavras. Em sua mensagem, focou em apresentar “um novo Brasil, que ressurge depois de estar à beira do socialismo“, e destacou temas como Amazônia, reformas econômicas e pluralidade religiosa.

O (M)Dados fez uma análise quantitativa do discurso e extraiu os principais termos utilizados pelo líder brasileiro. Os números do pronunciamento mostram que “Brasil” foi a palavra mais repetida por Bolsonaro, sendo citada 30 vezes. O presidente também falou sobre “direitos”, nove vezes. Na maior parte referiu-se aos direitos humanos, seja para criticar organizações governamentais do setor ou para reafirmar seu compromisso com a pauta.

Em um dos pontos mais contundentes, tratou da Amazônia, que foi citada nominalmente sete vezes em pouco mais de meia hora. Ele aproveitou para atacar os críticos da atual política de combate ao desmatamento na região. “Nossa Amazônia é maior que toda a Europa Ocidental e permanece praticamente intocada, prova que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente”, destacou.

Socialismo

Outro termo bastante repetido por Bolsonaro foi “socialismo“. Ele falou seis vezes do sistema de governo, principalmente ao criticar os governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Em um desses momentos, fez questão de elogiar seu ministro da Justiça. “Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o doutor Sergio Moro.”

Ainda nesse tema, ele citou “ditadura” em quatro ocasiões, enquanto “democracia” ganhou cinco menções. “Ideologia”, “Cuba”, “Venezuela” e “mídia” também se destacaram. Cada uma das palavras apareceu cinco vezes, assim como “paz”.

Bolsonaro foi o primeiro presidente brasileiro a não incluir a “Palestina” em um discurso da ONU. “Israel”, no entanto, apareceu uma vez. Até “nióbio” mereceu uma menção, quando ele tratou da riqueza das terras indígenas. “Nessas reservas, existe grande abundância de ouro, diamante, urânio, nióbio e terras raras, entre outros”, pontuou.

Veja a lista das 10 palavras mais faladas pelo presidente:

  • Brasil – 30 vezes;
  • País – 25;
  • Mundo – 11;
  • Direitos – 9;
  • ONU – 6;
  • Amazônia – 5;
  • Ideologia – 5;
  • Política – 5;
  • Socialismo – 5;
  • Democracia – 5.

Oitavo presidente

Bolsonaro foi o oitavo presidente brasileiro a discursar na abertura da Assembleia Geral da ONU. O tema deste ano é “Reunir esforços multilaterais para erradicação da pobreza, educação de qualidade, ações climáticas e inclusão”. Em 2016, Michel Temer destacou o processo de impeachment, que tirou Dilma Rousseff do cargo e permitiu a sua ascensão. Veja os presidentes que discursaram na abertura:

  • Michel Temer (2016): falou sobre o impeachment
  • Dilma Rousseff (2011): primeira mulher a fazer o discurso de abertura da Assembleia
  • Lula (2009): destacou as reações do Brasil à crise global de 2008
  • Fernando Henrique Cardoso (2001): prestou solidariedade aos americanos após o 11 de Setembro
  • Fernando Collor (1990): destacou a dificuldade da América Latina em vencer a dívida externa
  • José Sarney (1985): primeiro presidente após a ditadura a discursar na ONU
  • João Figueiredo (1982): primeiro presidente brasileiro a falar na Assembleia Geral em toda a história

Últimas notícias