Por ordem judicial, Vale reduz produção na Mina de Brucutu (MG)

O prefeito da cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo, Antônio Carlos, afirmou que somente a produção de minérios finos segue normalmente

atualizado 04/02/2019 15:53

MOISéS SILVA/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO

O prefeito da cidade mineira de São Gonçalo do Rio Abaixo, Antônio Carlos Noronha Bicalho, disse ao Grupo Estado que entre 80% e 90% da produção da Mina de Brucutu teve suas atividades paralisadas por ordem judicial. Segundo ele, a Vale informou sobre a parada das operações no último sábado (2/2). “Apenas produção de (minérios) finos segue normal”, afirmou.


O presidente do Sindicato Metabase de Mariana, Ângelo Eleutério, que representa os trabalhadores da Mina de Brucutu, também confirmou a informação, acrescentando que inicialmente esta paralisação não estava prevista dentro do plano de descomissionamento anunciado na semana passada. Segundo Eleutério, a direção da Vale informou ao sindicalista que está recorrendo da decisão judicial.

Segundo um comunicado à imprensa da Vale, de 7 de outubro de 2016, a capacidade produtiva da unidade da Mina de Brucutu gira em torno de 30 milhões de toneladas.

“A unidade continua sendo a maior mina de ferro de Minas Gerais em produção e a segunda maior do País, atrás apenas de Carajás, no Pará”, afirmou a empresa na ocasião.

Últimas notícias