Vacinação com imunizante da Pfizer começa com confusão no Rio

Doses da vacina, no entanto, ainda não estão disponíveis para o público. Apenas dois frascos foram abertos para divulgação do serviço

atualizado 04/05/2021 11:02

Rio de Janeiro –A Prefeitura do Rio deu início à vacinação contra a Covid-19 com o recém-chegado imunizante da Pfizer. Na verdade, apesar do anúncio, o início veio só com uma “propaganda”.

Na manhã desta terça-feira (4/5), a Secretaria Municipal de Saúde abriu o serviço anunciando que a vacinação seria feita com doses da vacina da Pfizer, mas a terceira vacina liberada para uso no Brasil só seria oferecida na parte da tarde. A agenda da manhã era apenas uma encenação para a imprensa, com o uso de somente dois frascos.

Felizardo, o primeiro vacinado com a dose da Pfizer no Rio foi o comerciante Alexandre Souza Almeida, 63 anos.

“A gente vem há um ano e pouco nessa agonia. Estava muito ansioso e a vacina nos dá expectativa de voltar à vida normal, com os filhos e familiares também nessa expectativa . Perdi amigos e parentes para a Covid e fiquei surpreso quando cheguei aqui e vi que, além de ser vacinado, receberia a dose da Pfizer”, conta o sortudo.

Veja vídeo de Alexandre:

A mesma sorte, no entanto, não beneficiou o senhor Luiz Fernando, de 70 anos.

“Vim para tentar receber a dose da vacina, o secretário de Saúde do município, Daniel Soranz, veio aqui e ainda falou com a gente para tomar a vacina. Mas não tem. Disseram que vai chegar ao longo do dia. Sou hipertenso e vou esperar por aqui para ver se alguém consegue dar alguma informação”, lamenta.

Ana Fornieli, empresária, é moradora do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste, e cruzou a cidade até o Rio Comprido, na zona norte, local onde as vacinas foram apresentadas pelo secretário, mas também não foi agraciada com a dose do imunizante distribuído pelo laboratório americano.

“Prefiro tentar receber esta da Pfizer pois viajo pros Estados Unidos e acho que é mais vantagem ser imunizada com aquela que é reconhecida naquele país. Mas não tem e ninguém sabe quando vai ter”, afirmou.

A Secretaria Municipal de Saúde foi procurada pelo Metrópoles, mas ainda não respondeu sobre as reclamações dos usuários.

A cidade do Rio vacinou mais de 1,5 milhão de pessoas, o que representa apenas 22% dos moradores do município, que já registra mais de 24 mil mortos e mais de 260 mil casos confirmados.

0

Últimas notícias