Um mês depois, feminicídio em Campo Grande permanece sem solução

Crime aconteceu no início de setembro, mas investigações "emperraram" e caso ficou sem solução

atualizado 06/10/2021 14:37

Um mês depois, feminicídio de Bruna permanece envolto em mistériosArquivo pessoal

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul encara grandes dificuldades nas investigações sobre o feminicídio de Bruna Moraes Aquino, de 22 anos, no Jardim Itamaracá, em Campo Grande. O caso completou um mês o dia 1° de outubro.

O delegado Nilson Friedrich, da 4° Delegacia de Polícia, limitou-se a dizer que o crime “está bem nebuloso”, mas que prossegue com as investigações para tentar solucionar e desvendar o mistério.

Saiba mais no Topmídia news, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias