*
 

O dado choca e preocupa: um em cada três brasileiros acredita que, nos casos de estupro, a culpa é da vítima. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, entre os homens o pensamento ainda é mais comum: 42% deles dizem que a violência sexual ocorre porque a mulher não se dá ao respeito ou usa roupas provocativas. Entre as próprias mulheres, principais alvos desse tipo de crime, o índice fica em 32%.

Segundo a enquete, o índice dos que concordaram foi menor entre os adolescentes e jovens e entre as pessoas com nível maior de estudo. Moradores da região Sul foram os que mais disseram discordar da afirmação (30%).

Os brasileiros com 60 anos ou mais são os que mais tendem a culpar as vítimas. Enquanto 44% dos idosos alegam que mulher com roupa curta não pode reclamar de estupro, a quantidade de pessoas entre 16 e 34 anos que concordam com o pensamento é de 23%. E quase metade (47%) dos brasileiros que cursaram apenas o ensino fundamental colocam as vítimas como responsáveis pela violência sexual. Entre os entrevistados com ensino superior, o número não chega a 20%.

“O resultado da pesquisa indica que muitas vezes as próprias mulheres ainda são consideradas responsáveis pela violência sexual, seja por não se comportarem “adequadamente” ou por usarem roupas provocantes. Esse pensamento vem de um discurso socialmente construído, o qual considera que se a mulher é vítima de alguma agressão sexual é porque de alguma forma provocou esta situação”, afirma o texto do estudo encomendado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), uma organização não governamental (ONG).

A pesquisa foi realizada com 3.625 pessoas, com 16 anos ou mais, que moram em 217 municípios, entre os dias 1º e 5 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O medo do estupro atinge 85% das mulheres brasileiras, sendo maior no Nordeste (90%) do país, segundo a pesquisa. “A mulher, em hipótese alguma, pode ser criminalizada. Ela é vítima, sempre, não ré. Essa cadeia de pensamento precisa ser rigorosamente combatida na nossa sociedade”, destaca Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do fórum.

Para a maioria da população, as leis nacionais protegem os estupradores, ainda segundo o estudo. A atuação das polícias também é questionada por grande parte dos brasileiros: 51% afirmaram não acreditar que a Polícia Militar (PM) esteja preparada para atender mulheres vítimas de violência sexual e 42% pensam o mesmo da Polícia Civil.

 

 

COMENTE

datafolhaestupro
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil