Última mensagem que João Pedro mandou para a mãe foi: “Calma”

Reportagem do Fantástico revisitou operação policial que acabou com a morte de jovem de 14 anos

atualizado 24/05/2020 21:15

O menino João Pedro, morto aos 14 anos dentro da própria casa em uma operação policial na região metropolitana do Rio de Janeiro no último dia 18 de maio, trocou mensagens com a mãe e a tia minutos antes de ser atingido.

Para a tia Denise, o jovem mostrou em áudios que sentia medo e esperava que um alguém chegasse logo em casa, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ).

Na troca de mensagens de João com a mãe, Rafaela Pinto, João diz que está dentro da casa e sem nenhum adulto presente. No último Whatsapp enviada, ele escreve para a mãe: “calma”.

As mensagens foram mostradas em reportagem do Fantástico neste domingo (24/05).

Pedro e outros cinco adolescentes estavam no quintal da casa dele quando começou uma operação reunindo as polícias Militar e Civil do Rio, além da Polícia Federal.

As mensagens mostram que eles correram para dentro quando começaram os tiros, mas os policiais arrombaram o portão e entraram na casa. As autoridades de segurança mantém a versão de que os suspeitos entraram no local e por isso atiraram.

João Pedro foi atingido por um tiro de fuzil e levado de helicóptero. A ação policial deixou pelo menos 72 marcas de tiros nas paredes do imóvel.

O corpo do jovem só foi localizado pela família 17 horas depois, no IML de uma cidade vizinha.

A bala que atingiu o menino é do mesmo calibre de um dos fuzis apreendidos com os policiais que participaram da operação, segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro.

0

 

Últimas notícias