*
 

Após a queda do avião da Chapecoense na Colômbia, na madrugada desta terça-feira (29), os seis sobreviventes foram encaminhados a três hospitais diferentes da região.

O lateral Alan Ruschel chegou ao hospital San Juan de Dios, no município de La Ceja, ainda de madrugada. Ele estava semiconsciente, com uma fratura na perna, lesões abdominais e trauma na coluna. Depois que o estado de saúde dele ficou estável, foi transferido para uma clínica. O jogador corre o risco de ficar paraplégico.

O jornalista Rafael Henzel, da Rádio Oeste, de Chapecó, também foi encaminhado ao hospital de San Juan de Dios. Ele também chegou semiconsciente, com problemas respiratórios graves e fraturas múltiplas nas costelas. Rafael passou por cirurgias pela manhã. De acordo com informações médicas, ele está na unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital. A situação dele é crítica por conta dos problemas pulmonares.

O zagueiro Hélio Zampier, conhecido como Neto, foi levado ao hospital no começo da manhã, em estado crítico. Ele teve trauma crânio-encefálico, fraturas expostas e várias lesões. Neto precisou de ajuda de aparelhos para respirar e fez diversos exames. À tarde, ele foi operado por um corpo médico formado por neurologistas, ortopedistas e clínicos gerais. Neto está internado e o estado de saúde dele é grave. Ele ainda passará por duas cirurgias: uma na mão e outra para reconstrução do nariz.

O goleiro Jackson Follman foi encaminhado para outro hospital no município do acidente. Ele teve uma perna amputada e, segundo os médicos, está em estado crítico. De acordo com a revista Época, ele foi encontrado preso entre poltronas e pedaços da fuselagem do avião.

“Não me deixe morrer… Não sinto as pernas, não me deixe morrer.” Essas foram as únicas palavras que o goleiro Jackson repetia, vez ou outra, a Gloria Ramírez, da equipe da Defesa Civil da Colômbia.

Os outros dois sobreviventes foram levados a um outro hospital da região. Os bolivianos Ximena Suárez e Erwin Tumiri, membros da tripulação da aeronave, estão internados e passam bem. Não há previsão da saída dos feridos do hospital.

Com informações do Jornal Nacional

 

 

COMENTE

ColômbiaChapecoensesobreviventes
comunicar erro à redação

Leia mais: Transporte