The Intercept Brasil afirma que não comenta sobre as fontes

Um suspeito de hackear os aparelhos disse à polícia que deu ao site acesso a conversas do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 25/07/2019 11:14

O site The Intercept Brasil afirmou, em nota, que, “assim como a melhor imprensa mundial, não comenta assuntos relacionados à identidade de suas fontes anônimas”. Preso nessa quarta-feira (24/07/2019), um suspeito de hackear os aparelhos disse à polícia que deu ao site acesso a conversas do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.

O comunicado diz ainda que a “tentativa de ligar supostos hackers ao Intercept Brasil é mais uma etapa dos constantes ataques aos quais a redação tem sido submetida” desde o início da publicação da série As mensagens secretas da Lava Jato, em 9 de junho. “Trata-se de um claro ataque à liberdade de imprensa”, afirma a nota.

Segundo o site, a Operação Spoonfing, deflagrada pela Polícia Federal, “não muda o fato de que a Constituição Federal garante o direito do Intercept de publicar as reportagens e manter o sigilo da fonte, mesmo direito garantido para toda a imprensa brasileira”.

“O Intercept Brasil vê com preocupação as conclusões precipitadas do ministro Sergio Moro sobre uma investigação que sequer teve o inquérito concluído. Esperamos que a Polícia Federal, comandada por Moro, tenha autonomia para conduzir uma investigação isenta.”

Ao Supremo Tribunal Federal, Moro disse desconhecer “qualquer investigação em andamento a respeito” do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil.

Últimas notícias