Temer faz reunião de emergência para discutir preço de combustíveis

Pressionado por protestos de caminhoneiros que fecharam rodovias no país inteiro, presidente chamou seus ministros que lidam com o tema

atualizado 21/05/2018 20:58

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Michel Temer convocou nesta segunda-feira (21/5) uma reunião de emergência para discutir a alta dos preços dos combustíveis. O encontro ocorre no momento em que os caminhoneiros deflagraram uma paralisação por tempo indeterminado, bloqueando rodoviais em pelo menos 17 estados brasileiros e no DF. Os trabalhadores se queixam do reajuste das tarifas do diesel.

A reunião ocorre no Palácio do Planalto e teve início pouco depois das 18h. Foram chamados para participar da conversa com o presidente os ministros Moreira Franco (Minas e Energia), Eduardo Guardia (Fazenda), Eliseu Padilha (Casa Civil), Esteves Colnago (Planejamento) e Jorge Rachid, secretário da Receita Federal.

Pela manhã, os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram a criação, nesta quarta-feira (23), de uma comissão geral no Congresso que deverá acompanhar os desdobramento da política de reajuste de preços de combustíveis no país.

De acordo com Guardia, o governo examina a redução de tributos incidentes sobre os combustíveis, mas não tem ainda nenhuma decisão sobre o assunto. Em teleconferência com a imprensa estrangeira, ele afirmou que medidas para reduzir as alterações constantes nos preços estão sendo discutidas, mas destacou não haver, neste momento, “flexibilidade fiscal”.

Alta nas bombas e protesto nas ruas
O dia em que milhares de motoristas de caminhão protestam em pelo menos 17 estados e no Distrito Federal contra o preço dos combustíveis no país, a Petrobras anunciou nesta segunda-feira (21/5) reajuste na gasolina e no diesel de 0,9% e 0,97%, respectivamente.

Esse é o 11º aumento nos últimos 17 dias para a gasolina e o 7º consecutivo do diesel. Segundo a estatal, “os combustíveis derivados de petróleo são commodities e têm seus preços atrelados aos mercados internacionais, cujas cotações variam diariamente, para cima e para baixo”. Ao longo de maio, o preço da gasolina subiu 16,07%. O do diesel, acumula alta no mês de 12,3%.

No DF
Ao contrário de outros estados, onde os protestos começaram por volta das 6h, no Distrito Federal os reflexos do movimento só foram sentidos no início da tarde, quando cerca de 50 guinchos fizeram uma carreata pela área central de Brasília, interditando uma das faixas do Eixo Monumental. Os veículos saíram do estacionamento do Estádio Mané Garrincha, foram até o Congresso e retornaram.

Outro grupo se concentrou no Riacho Fundo I e ocupou a faixa da esquerda da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). Por volta das 12h30, eles saíram em direção à BR-060. Na Região do Entorno do DF, são quatro pontos de bloqueios parciais, com 70 caminhões, nas BRs 020 (Formosa), 040 (Luziânia), 050 (Cristalina) e 080 (Padre Bernardo). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a manifestação está pacífica e segue nos dois sentidos.

Os caminhoneiros solicitam a parada apenas de outros motoristas de caminhão, posicionando-se às margens da rodovia, e mantendo livre o acesso de carros de passeio. A orientação aos manifestantes é que não coloquem veículos sobre a rodovia.

Últimas notícias