SP: ponte na marginal Tietê é interditada sob risco de ceder

Necessidade de interdição foi detectada durante vistoria, feita após a queda do viaduto da Marginal do Pinheiros

ReproduçãoReprodução

atualizado 23/01/2019 20:24

A Prefeitura de São Paulo decidiu interditar nesta quarta-feira (23/1), a alça de acesso da pista expressa da Marginal do Tietê para a pista expressa da Rodovia Presidente Dutra, na zona norte de São Paulo, após a detecção de danos na estrutura, que passa por cima do Rio Tietê. Duas faixas da pista expressa da marginal, próximas à alça, estão fechadas.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) está no local. Ainda não há informações sobre o período de interdição da pista. A alça é um dos acessos da capital para o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Uma alternativa é usar a Rodovia Ayrton Senna.

Até as 20h, a interdição provocava um congestionamento de 15 quilômetros no sentido Ayrton Senna da marginal, quase um quarto de dos 50 quilômetros de trânsito da cidade. Equipes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estão na área da interdição.

A necessidade de interdição foi detectada após uma vistoria que está sendo feita em pontes e viadutos da cidade, motivada pela queda do viaduto da Marginal do Pinheiros, em novembro do ano passado, que mantém a via interditada desde então. As obras ali duram pelo menos até maio, segundo a Prefeitura.

A Prefeitura havia anunciado plano para vistoriar, em uma primeira etapa, 34 construções. Ela já havia detectado sinais de riscos estruturais em 8 dos 11 locais inspecionados até o último dia 15 de janeiro, e anunciado a contratação emergencial, sem licitação, de empresas para fazer vistorias mais detalhadas.

Covas pretendia fazer contratos de emergência com empresas que fizessem essa inspeção detalhada, mas foi impedido pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). O órgão determinou que só liberaria esses contratos caso a Prefeitura provasse que eram necessários. E daí essa rodada de inspeções visuais.

Últimas notícias