SP: criança pediu para usar escada e escapou de queda de elevador

Acidente em prédio da Marinha do Brasil em Santos (SP) deixou quatro pessoas mortas da mesma família

atualizado 31/12/2019 8:00

Reprodução

Momentos antes do acidente com o elevador que matou quatro da mesma família em um prédio da Marinha em Santos, o filho e o marido de Luciene Luiz de Narciso, de 45 anos, escaparam da tragédia. Os dois desceram para jogar o lixo fora, mas o menino de 7 anos pediu para usar as escadas. As informações são do G1.

A moradora conta que ouviu o forte barulho da queda e desceu rápido pelas escadas, pois teve medo que algo tivesse acontecido com o filho e o marido.

“Assim que eles saíram de casa, ouvi o estrondo e desci escadas abaixo, achi que minha família pudesse estar no elevador”, contou ao G1. Segundo ela, o barulho parecia de móveis caindo.

Entenda
Um elevador despencou do nono andar e matou quatro pessoas de uma mesma família nessa segunda-feira (30/12/2019). O Edifício Tiffany, Próprio Nacional Residencial, é da Marinha do Brasil e abriga militares de Santos, em São Paulo.

As vítimas são esposa e três familiares de um militar que serve na Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP). Em nota, a Marinha lamentou o acidente e transmitiu “condolências aos familiares e amigos”.

No comunicado, a Força afirmou que um inquérito policial militar foi aberto para apurar as causas da queda. O elevador estava no último andar do edifício e despencou até o térreo. As pessoas morreram no local.

Confira na íntegra a nota do Marinha do Brasil:

A Marinha do Brasil, por intermédio da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), informa com pesar a ocorrência de acidente com o elevador do Edifício Tiffany, Próprio Nacional Residencial de militares na cidade de Santos, que lamentavelmente vitimou a esposa e mais três familiares de um militar que serve na CPSP.

O Capitão dos Portos de São Paulo e a Tripulação da Capitania transmitem as condolências aos familiares e amigos pela inestimável perda.

A Marinha está dando todo o suporte possível às famílias.

Últimas notícias