*
 

Em um áudio que circulou nas redes sociais, uma funcionária do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) orientou os gestores municipais a não aceitarem “qualquer” lixo” para integrar o programa Mais Médicos. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a reportagem, na mensagem, a mulher pediu para que não aceitem profissionais idosos, gestantes e com problemas legais no programa. Isso provocou uma crise entre o Conasems e o Conselho Federal de Medicina (CFM). A funcionária ainda orientou os secretários municipais para que “segurem a onda um pouquinho” até que o conselho construa uma justificativa contra a validação desses casos.

O conteúdo do áudio provocou uma reação do CFM, que cobrou um esclarecimento do conselho sobre o que foi dito pela funcionária. Embora não identifique a autora do áudio, o Conasems confirmou a veracidade do áudio e respondeu em ofício no último dia 29 que se tratou de “uma manifestação infeliz de uma funcionária pressionada por um sem número de demandas recebidas”.

Segundo o texto, a funcionária orientou aos gestores que aguardassem e não validassem os médicos – visto que o prazo final para a apresentação dos profissionais nas unidades de saúde vai até o dia 14 de dezembro.

“[Precisamos] cuidar para que o pepino não sobre na nossa mão”, afirmou a funcionária. “Essa semana foi uma loucura, o Ministério [da Saúde] está querendo dizer que resolveu tudo, não importa como”, disse trecho do áudio, divulgado pela Folha.