Bolsonaro tem melhora no quadro clínico e não sente dor, diz boletim

Em novo boletim médico, hospital disse que presidente fez caminhada curta pelo corredor e não apresenta febre

atualizado 03/01/2022 20:08

Na imagem colorida, um homem está posicionado do lado direito da imagem. Ele usa camisa escura e olha seriamente para a direitaFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Internado desde a madrugada desta segunda-feira (3/1), o presidente Jair Bolsonaro (PL) apresentou evolução no quadro de suboclusão intestinal, de acordo com novo boletim médico divulgado no início da noite.

Ele não apresenta febre e parou de sentir dores abdominais. “Mostrou melhora clínica depois da passagem da sonda nasogástrica e segue em tratamento”, diz a nota.

Também caminhou um pouco pelo corredor do hospital. Não se sabe ainda se é caso de cirurgia e segue sem previsão de alta.

0

Bolsonaro está em um andar isolado para ele no Vila Nova Star, hospital privado no bairro da Vila Nova Conceição, em São Paulo. O mandatário interrompeu suas férias no Forte Marechal Luz, em São Francisco do Sul (SC), após sentir desconforto abdominal, e pegou um voo fretado com destino a Congonhas, onde desembarcou por volta da 1h30.

Em postagem nas redes sociais nesta manhã, o presidente divulgou uma foto com a sonda nasogástrica e informou que começou a passar mal após o almoço de domingo (2/1).

O médico Antônio Luiz Macedo, que operou o político devido à facada sofrida em um comício de 2018, passava férias nas Bahamas e volta ao país para acompanhar o caso. A previsão é que chegue a São Paulo na madrugada desta terça-feira (4/1).

“Sequela que levaremos para o resto de nossas vidas. Mas Deus é bom e tem o controle de todas as coisas”, escreveu a primeira-dama, Michelle, sobre a facada e a internação do marido nesta segunda-feira.

O presidente já passou por várias cirurgias relacionadas ao episódio de ataque. Em julho do ano passado, foi internado no mesmo hospital e também recebeu o diagnóstico de obstrução intestinal. Chegou a ser cogitada cirurgia, mas, no final, indicou-se uma dieta.

Mais lidas
Últimas notícias