São Paulo tem 77% das UTIs ocupadas, maior nível desde junho

Neste domingo, a capital paulista chegou a 365 pessoas internadas em UTIs e 448 em enfermarias

atualizado 23/01/2022 17:58

Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – A cidade de São Paulo tem 77% de suas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupadas por pacientes com Covid-19 neste domingo (23/1), nível que a que a capital não chegava desde junho do ano passado. De acordo com dados do boletim diário divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), há 365 pessoas internadas nestes leitos e 448 em enfermarias.

A diferença entre agora e aquela época é o total de leitos em operação. Hoje, a disponibilidade de vagas em hospitais municipais é de 1.109, enquanto em junho, ultrapassava os 1.800.

Nos leitos de enfermaria da capital, a taxa de ocupação neste domingo é de 71%. Os dados levam em conta apenas os hospitais municipais.

Além dos leitos de competência da prefeitura, a cidade de São Paulo ainda conta com 510 pessoas internadas em hospitais estaduais e 1.488 nos hospitais privados, considerando tanto enfermaria quanto UTIs.

Há ao menos duas semanas a variante Ômicron da Covid-19, mais transmissível, é a predominante na cidade, que já tem toda a população adulta com ao menos duas doses da vacina.

Na última quinta-feira (20/1), a SMS informou que 272 novos casos da nova cepa tinham sido identificados, somando 770 casos da nova linhagem sequenciados. Das 276 amostras analisadas pelo Instituto Butantan, 272 (98,55%) foram positivas para variante Ômicron e três para variante Delta.

No nível estadual, as taxas de ocupação também vêm aumentando desde o início deste ano: as UTIs têm 63,5% de taxa de ocupação em todo o estado, enquanto na Grande São Paulo, composta por 37 municípios, o nível de hospitalização nestes leitos é de 68,7%.

Mais lidas
Últimas notícias