“Sai por investigar demais”, diz procurador sobre Valeixo

Sobre a demissão pelas mãos de Jair Bolsonaro, Roberto Livianu disse que a decisão foi "lamentável, para dizer o mínimo"

atualizado 24/04/2020 9:39

O procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo (MPSP) Roberto Livianu criticou a demissão do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, e repudiou a interferência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em assuntos da PF.

Nas redes sociais, o jurista afirmou, nesta sexta-feira (24/04), que o delegado saiu “de cabeça erguida por ter investigado demais”.

Sobre a demissão pelas mãos do mandatário do país, Livianu disse que a decisão deve ser do chefe da Justiça e Segurança Púlblica, Sergio Moro, e que o cenário é “lamentável, para dizer o mínimo”.

A exoneração, que no DOU está “a pedido”, saiu um dia depois de Moro ameaçar pedir demissão, caso o diretor da PF fosse tirado do cargo. Valeixo foi indicado para a direção da PF pelo ex-juiz.

Últimas notícias