Russomanno insiste em resistência de moradores de rua à Covid-19: “Imunes”

Candidato do Republicanos à prefeitura de São Paulo tenta explicar frase polêmica e disse que a ciência deve explicar essa "resistência"

atualizado 14/10/2020 15:59

Celso Russomanno visita o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, na Associação Bunkyou, em campanhaRafaela Felicciano/Metrópoles

São Paulo – Apesar de dizer que foi mal interpretado em frase que causou polêmica, o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) insistiu, nesta quarta-feira (14/10), na tese de que os moradores de rua têm uma resistência maior ao coronavírus.

“A ciência tem que explicar por que que eles são imunes”, disse o candidato ao ser abordado por jornalistas enquanto fazia campanha para a Prefeitura de São Paulo, no Brás, bairro paulistano famoso pelas lojas de roupas.

“Talvez porque tenham mais resistência, só por isso. Eles têm mais resistência do que a gente. Se alardeava que os moradores de rua e a Cracolândia (região paulistana onde se reúnem moradores de rua e usuários de drogas) seriam dizimados, seriam exterminados pela Covid-19. E não foi o que aconteceu. Então, a ciência tem que explicar muito para nós em relação à Covid-19. Era isso que eu estava falando”, explicou.

Na última terça-feira (13/10), Russomanno lançou a hipótese de resistência dos moradores de rua “porque convivem o tempo todo nas ruas, não têm como tomar banho”.

0

Uber limitado ao município

Russomanno também visitou, nesta quarta, o Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo. Ele prometeu aos permissionários a volta da publicidade aos carros, barrada pela lei da Cidade Limpa.

O candidato prometeu ainda fazer um cadastro de motoristas de aplicativos e limitar a atuação àqueles que tiverem placas do município de São Paulo.

Últimas notícias