RJ: dupla que sequestrou helicóptero pagou R$ 14,5 mil à vista por voo

Criminosos armados renderam piloto quando decolaram de Angra dois Reis, na Costa Verde, e ordenaram pouso em complexo penitenciário no Rio

atualizado 20/09/2021 19:23

Reprodução

Rio de Janeiro – Os criminosos que sequestraram um helicóptero para tentar resgatar um comparsa preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio, pagaram à vista, em dinheiro, R$ 14,5 mil pela ida e volta do voo. A dupla de sequestradores estava em Angra dos Reis, na Costa Verde, e, ao decolarem, ordenaram que o piloto seguisse para o conjunto de presídios.

O que os passageiros não contavam é que no comando do helicóptero estaria o piloto e policial civil Adonis Lopes Oliveira. De folga na corporação, o agente aceitou o trabalho particular e conseguiu frustrar o plano dos bandidos, que estavam armados de pistolas e fuzis e lutaram com ele, com o helicóptero enquanto sobrevoavam o 14º BPM (Bangu), onde agente planejou pousar.

Em depoimento à polícia, o policial afirmou que os criminosos não esconderam o rosto e que é capaz de fazer um retrato falado de cada um.

Adonis disse à TV Globo que pensou que fosse morrer e que aquele seria seu último voo. “Imaginei que aquele pudesse ser meu último voo”, declarou. “Mas não ia conviver com o estigma de resgatar bandido”, completou. As imagens do helicóptero descontrolado, sobrevoando o batalhão, viralizaram. Veja o vídeo:

O policial só assumiu o voo após o piloto contratado, que é seu amigo, ter desistido da viagem por não estar se sentindo bem. Adonis diz que não contou aos bandidos que é agente civil e que passou os 30 minutos do trajeto tentando convencer a dupla a desistir do plano.

Segundo o agente, os três entraram em luta corporal e os bandidos só recuaram quando acharam que o helicóptero ia cair. Quando a aeronave foi para o Morro do Caramujo, em Niterói, a dupla saltou.

Em nota, a Polícia Civil reforça a fala do policial. Diz que “os bandidos desistiram do plano e mandaram seguir para Niterói, onde pularam do helicóptero em uma área de mata. Foram realizadas buscas na região para localizar a dupla”.

0

O inquérito policial aberto para investigar a ação busca identificar os dois bandidos e o criminoso que seria resgatado no complexo penitenciário. De acordo com o G1, o secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski, já identificou a facção criminosa a qual os bandidos pertencem. Também está sendo investigado o motivo que levou os bandidos a terem voado até Angra, agendado o voo de volta para a segunda-feira (20/9) e terem antecipado o retorno ao Rio no domingo (19/9).

O caso está em análise na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco).

Mais lidas
Últimas notícias