Professores e trabalhadores da educação mantêm estado de greve na BA

De acordo com a categoria, a decisão pela continuidade da greve foi fortalecida diante dos indicadores da insegurança sanitária em Salvador

atualizado 14/05/2021 11:26

carteiras infileiradas em uma sala de aula vaziaDivulgação

Após reunião realizada pela APLB Sindicato, na tarde desta quinta-feira (13/5), os trabalhadores de educação decidiram, com maioria dos votos (92,8%), pelo estado de greve, pela continuidade das aulas remotas e pelo retorno das atividade presenciais somente após a imunização completa, com aplicação das 1ª e 2ª doses da vacina.

Segundo o coordenador geral da entidade, Rui Oliveira, a decisão em não retomar as atividades presenciais encontra apoio não só de pais e mães de estudantes, mas de profissionais de educação de quase todos os 417 municípios.

Leia mais em Bahia Notícias, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias