Presidente do Conselho de Medicina reforça obrigatoriedade do Revalida

Em documento entregue a Jair Bolsonaro (PSL) o Conselho Federal de Medicina (CFM) pede para para participar na elaboração do exame

Valter Campanato/Agência BrasilValter Campanato/Agência Brasil

atualizado 16/04/2019 17:46

O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, se encontrou nesta terça-feira (16/04/19) com presidente Jair Bolsonaro (PSL) para apresentar quatro exigências da categoria média ao governo federal. Entre estas, está a obrigatoriedade do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Medicos (Revalida) pra o exercício da medicina no país.

De acordo com o CFM, a prova diminui as chances de profissionais desqualificados ocuparem vagasno mercado de trabalho. No pedido feito a Bolsonaro, o CFM pede para coordenar e conduzir o exame, elaborado hoje pelo Ministério da Educação (MEC). Para Vital, as atribuições do ministério dificultam a realização da prova.

A respeito do programa Mais Médicos, Vital afirmou que não há a necessidade de contratação de médicos estrangeiros para as resolver as demandas do Brasil. “Nós temos médicos brasileiros em número suficiente para esse atendimento. Temos médicos que precisam apenas de condições de trabalho e reconhecimento para ocupar esses espaços”, disse.

O cancelamento do programa e a substituição da carência da profissão com profissionais concursados foi uma das promessas feitas em campanha eleitoral pelo presidente Jair Bolsonaro.

No Brasil, existem atualmente mais de mil médicos estrangeiros, ex-integrantes do Mais Médicos, executando a carreira sem a realização da prova. Segundo a legislação atual, os profissionais têm até três anos para realizar o exame do Revalida.

No documento entregue ao chefe do Executivo, com o detalhamento das quatro exigências do conselho, está a instalação de infraestrutura adequada nos municípios para garantir boas condições de vida ao médico e qualidade de atendimento aos brasileiros.

“Os médicos têm uma carreira que é reconhecida pela sociedade, mas é preciso melhores condições para o trabalho e reconhecimento médico, através de salários condignos que permitam ao profissional ter condições de exercer sem maiores preocupações a sua atividade”, completou Vital.

Outras medidas
Além da obrigatoriedade do mais valida e a garantia de boas condições de trabalho ao profissional, o CFM pede pelo reconhecimento do Sistema de Acreditação de Escolas Médicas (Saeme) como plataforma oficial de acreditação de escolas de medicina no Brasil. Pela proposta, o conselho iria regularizar o ensino da medicina no país, desde seu programa educacional, o corpo docente e ambiente de ensino. Entre as demandas, o conselho pede pela modernização das normas da CFM.

Últimas notícias