Prefeito de Araraquara indica novo lockdown após recorde de casos

A cidade de Araraquara aderiu ao lockdown entre 21 de fevereiro e 2 de março. Após melhora, índices de Covid voltaram a crescer em junho

atualizado 10/06/2021 18:39

Edinho SilvaElza Fiúza/Agência Brasil

São Paulo – O prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), recorreu às redes sociais para fazer um apelo à população após o município bater recorde de casos de Covid-19, com 281 confirmações, nesta quinta-feira (10/6).

“Se não revertermos esse quadro, se as pessoas não se conscientizarem, se nós não conversarmos com quem desacredita da doença, não teremos outro caminho a não ser decretar o lockdown. E não sou eu que decreto. Quem decreta é a cidade de Araraquara”, disse Edinho Silva.

A cidade atingiu, pela segunda vez, índice de lockdown previsto em decreto, com 22,97% das amostras gerais e 29,65% de positivação entre os sintomáticos. A primeira marca foi alcançada nessa terça-feira (8). A cidade, que adotou lockdown de 21 fevereiro a 2 de março, pode aderir novamente ao fechamento das atividades econômicas.

De acordo com o decreto municipal em vigor, o lockdown ocorrerá se houver a positivação de 20% das amostras totais ou 30% dos sintomáticos em três dias seguidos ou em cinco dias dentro de intervalo de sete dias. O bloqueio seria de sete dias, no mínimo, como consta no documento.

0
Mês de recordes negativos

A confirmação de 281 casos nesta quinta supera a marca de 252 pessoas positivadas em 4 de junho.

“Eu, enquanto prefeito, não vou permitir que as pessoas morram por falta de assistência médica, por não terem acesso a um leito hospitalar. Ou nós mudamos esse quadro ou Araraquara não terá leitos para esse tanto de pessoas que estão se contaminando”, avisou o prefeito.

Segundo dados da Prefeitura de Araraquara, a média móvel diária de casos de Covid-19 atual é de 165,54, muito acima da registrada em abril, após o lockdown, que chegou a 42,29.

Os índices atuais se aproximam das semanas pré-confinamento, em 15 de fevereiro, com média móvel de 189,57.

Últimas notícias