Pré-candidato ao governo de SP, Rodrigo Garcia intensifica agenda pelo interior

Desde abril, vice-governador visitou 97 cidades; o tucano tenta buscar apoio de prefeitos e se tornar conhecido entre a população para 2022

atualizado 17/09/2021 20:03

Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O vice-governador e secretário de governo Rodrigo Garcia é, no momento, o único membro do PSDB oficialmente cotado para ser candidato a governador de São Paulo nas eleições de 2022. De olho na campanha, nos últimos meses ele tem intensificado sua agenda pelo interior. Desde abril, visitou ao menos 97 cidades.

As excursões começaram a ser mais frequentes a partir de maio, quando percorreu cidades do noroeste e do centro-sul paulista. De lá para cá, Garcia viaja todas as semanas – e já chegou a aparecer em cinco cidades em um único dia.

As agendas incluem desde entrega de cestas básicas e inauguração de obras, como escolas e parques, em cidades com menos de 10 mil habitantes, até anúncios de construção de habitações populares e lançamentos de rodovias e novas regiões administrativas.

0

A última sexta-feira (17/9) foi um exemplo de data dedicada ao calendário no interior. O político esteve em Bocaína pela manhã, onde participou da inauguração de uma creche e entregou cestas básicas e vouchers para escolas. Depois, seguiu para Jaú, onde assinou autorização para início de obras e distribuiu mais cestas básicas.

O roteiro seguiu em Barra Bonita, onde inaugurou um hotel e autorizou obras de uma nova unidade do Poupatempo. O tour terminou em Bauru no fim da tarde, onde autorizou o início de diversas obras.

Quando se elegeu vice de João Doria, Garcia estava no DEM. Em maio, filiou-se ao PSDB e logo anunciou sua pré-candidatura para o governo de São Paulo. O partido vai realizar prévias para definir quem será o candidato, mas até o momento o tucano está na disputa sozinho.

O PSDB paulista, capitaneado por Doria e pelo presidente estadual Marco Vinholi, aposta suas fichas em Garcia, colocando de lado o ex-governador Geraldo Alckmin, que ensaia deixar a sigla.

Garcia é visto por pessoas próximas como um político de fácil convivência e com boa relação com prefeitos. E o interior não lhe é estranho: nasceu em Tanabi, cidade de 26 mil habitantes, próxima a São José do Rio Preto. Além disso, também é tido como um gestor experiente, por ter chefiado quatro secretarias de estado.

Sua cidade natal ainda não foi palco de agendas, mas o vice-governador já circulou por dezenas de cidades de várias regiões e tamanhos no estado. O objetivo é se tornar mais conhecido tanto pelos prefeitos, em busca de coligações e apoio nas prévias, quanto pela população.

Com um estilo mais discreto e menos marqueteiro do que Doria, tem aproveitado o anúncio de grandes programas do governo para mostrar sua imagem nos últimos meses.

O mais recente deles foi o Pró SP, que prevê investimentos de R$ 47,5 bilhões em obras no estado até o fim de 2022. A maior parte dos gastos, porém, já está em andamento, como obras de rodovias, construção de estações de metrô e trem e repasses de recursos para escolas.

Apesar de Garcia ter o apoio e o aparato do PSDB para sua pré-campanha, Alckmin ainda possui grande apoio no estado, principalmente fora da capital. Pesquisa da Exame/Ideia divulgada em agosto mostrou que, em uma simulação de primeiro turno, Alckmin tem 19% nas intenções de voto, seguido por Fernando Haddad (PT), Márcio França (PSB) e Guilherme Boulos (PSOL).

Últimas notícias