Porteiro diz que moradora sentiu tontura por vazamento de gás no Rio

O depoimento foi feito no inquérito que apura as mortes de um casal por “intoxicação exógena por monóxido de carbono”

atualizado 26/06/2021 11:39

Reprodução/Google

O porteiro do condomínio Solar Satélite, que fica na Zona Sul do Rio de Janeiro, relatou que uma moradora de uma das coberturas do edifício sentiu mal-estar e tontura em decorrência de um vazamento de gás no banheiro de seu apartamento.

O episódio, ocorrido há alguns anos, está no depoimento do porteiro à delegada Natacha Alves de Oliveira, da 14ª DP (Leblon), no inquérito que apura as mortes de um casal na última semana por “intoxicação exógena por monóxido de carbono”.

Mateus Correia Viana e Nathalia Guzzardi Marques, ambos de 30 anos, foram encontrados sem vida no box do apartamento 601. Em 11 de setembro de 2012, Camila Paoliello Ribeiro, de 24, morreu em circunstâncias semelhantes, no apartamento 608.

De acordo com O Globo,  nessa sexta-feira (25/6), profissionais da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa) realizaram uma vistoria no bloco, na tubulação e nas instalações de aquecedores de água do prédio.

De acordo com o laudo de necropsia, os corpos do casal apresentavam “sinais gerais de asfixia, com coloração carminada dos tecidos, sugestivo de intoxicação exógena”.

O laudo complementar do exame de necropsia feito no corpo de Camila, feito em 22 de agosto de 2013, apontou que a causa de sua morte foi a intoxicação por “ação química”.

 

Mais lidas
Últimas notícias