metropoles.com

Veja momento em que tesoureiro petista é resgatado, após ser alvejado

Pelo tema da comemoração do aniversário de Marcelo Arruda, Jorge Guaranho invadiu a festa e disparou tiros contra o petista

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
Briga que levou à morte de morte de Marcelo Arruda
1 de 1 Briga que levou à morte de morte de Marcelo Arruda - Foto: Reprodução

Imagens inéditas obtidas pelo Fantástico, da noite em que Marcelo Arruda foi assassinado, mostram detalhes do resgate após a troca de tiros com Jorge Guaranho. O petista morreu na própria festa de aniversário, quando um homem invadiu o local e atirou contra o aniversariante pelo tema da comemoração, que era sobre o Partido dos Trabalhadores (PT).

No vídeo, é possível escutar uma voz feminina que questiona: “Só porque a gente estava fazendo uma festa e meu tio é petista, cara?”. Veja:

 

 

 

Vídeo de câmera instalada no salão de festas onde tudo aconteceu, registrou o momento em que ele foi atacado a tiros pelo policial penal. A gravação mostra Marcelo, que era tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu (PR), caindo próximo a uma mesa, aparentemente ferido. Jorge se aproxima e efetua disparos. Ainda no chão, Marcelo revida e também atira.

Jorge corre em direção à saída, mas cai dentro do salão. Em seguida, uma pessoa se aproxima dele e começa a chutá-lo na cabeça. Jorge permanece imóvel. Do outro lado do salão, Marcelo se contorce enquanto pessoas se aproximam.

Veja:

Como tudo aconteceu

O guarda municipal Marcelo Arruda, candidato a vice-prefeito pelo PT nas últimas eleições, foi assassinado a tiros durante sua festa de aniversário de 50 anos, ocorrida na noite de sábado (9), em Foz do Iguaçu (PR). A festa tinha como tema o PT e fazia várias referências ao ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo relatos, por volta das 23h, Jorge Guaranho, que se declara apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), invadiu a festa e atirou em Marcelo, que revidou. A confraternização era promovida na Associação Recreativa Esportiva Segurança Física Itaipu (Aresfi). A festa tinha poucos convidados — cerca de 40 pessoas.

Relatos ainda apontam que o policial penal entrou na festa gritando o nome de Bolsonaro e “mito”. Houve uma rápida discussão, e o homem chegou a sacar a arma e ameaçou a todos. Logo depois, ele saiu, dizendo que voltaria para matar todo mundo”. Minutos depois, o agente penitenciário chegou atirando no guarda municipal.

Inicialmente, a Polícia Civil informou que o atirador, o policial penal Jorge José da Rocha Guaranho, tinha morrido após Marcelo revidar. Contudo, às 16h40, em coletiva de imprensa, a delegada Iane Cardoso informou que a polícia errou: o agressor estava vivo e foi levado ao hospital. Até a última atualização desta reportagem, ele estava internado.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações