Suplicy envia livro a Bolsonaro e sugere “renda mínima” em vez de “armas”

Petista postou nos Correios o livro Utopia, de Thomas More, e espera que o presidente o leia durante a recuperação do coronavírus

atualizado 11/07/2020 21:34

Eduardo SuplicyReprodução/Redes Sociais

O ex-senador, hoje vereador por São Paulo, Eduardo Suplicy (PT-SP), enviou a Jair Bolsonaro o livro Utopia, de Thomas More, como sugestão de leitura durante o período em que o presidente se recupera do coronavírus. Na dedicatória, o petista indica a importância de se implementar uma renda mínima no Brasil e que isso seria “muito melhor do que distribuir armas”.

O petista pede a atenção de Bolsonaro à página 29 da obra, que “mostra a reflexão do viajante português Rafael Hitlodeu em que, ao comentar que a pena de morte não havia colaborado para diminuir a criminalidade violenta, afirma que muito melhor será garantir a sobrevivência das pessoas para que ninguém se sinta com a necessidade de primeiro roubar para daí ser transformado em cadáver”, destacou.

O petista informou, pelas redes sociais, que enviou o exemplar pelos Correios e espera que chegue ao destinatário até terça-feira. “Ao presidente Jair Bolsonaro, desejo-lhe pronta recuperação e que possa aproveitar esse período em que precisa se restabelecer com a leitura desse importante livro de Thomas More”, iniciou a sua dedicatória.

“Com base nas reflexões do personagem Rafael Hitlodeu, de Thomas More, seu amigo, Juan Luis Vives escreveu em 1.526 De Subventione Pauperum, ao prefeito da cidade de Bruges, onde, pela primeira vez, propõe uma renda mínima garantida a seus habitantes. Por essa razão, Thomas More é considerado um dos pensadores que melhor fundamentou a renda básica de cidadania. Muito melhor do que distribuir armas será assegurar a renda básica de cidadania para todas as pessoas”, escreveu Suplicy.

O petista ainda assinou o texto chamando Bolsonaro de amigo.

0

Últimas notícias