Spoofing: jornal revela lista de 84 autoridades alvos dos hackers

Relatório da PF identifica ataques a celulares que incluem do presidente Jair Bolsonaro e filhos a ministros do STF, juízes e procuradores

atualizado 23/09/2019 21:56

Presidente Jair Bolsonaro conversa ao celular no planaltoHugo Barreto/Metrópoles

A perícia da Polícia Federal identificou que pelo menos 84 autoridades públicas foram alvos de tentativas de invasão feitas pelo grupo de hackers preso na Operação Spoofing, deflagrada em 23 de julho último. A lista de alvos da PF, que inclui celulares do presidente Jair Bolsonaro e dos seus filhos, dos ex-procuradores-gerais da República Raquel Dodge e Rodrigo Janot, de membros do Judiciário e de procuradores da Lava Jato foi obtida com exclusividade pelo jornal O Globo.

Três ministros de Bolsonaro também foram alvo do grupo: Paulo Guedes (Economia), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Abraham Weintraub (Educação). Do Legislativo, os nomes mais vistosos são os dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP). No Judiciário, o rol vai de ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e um do Supremo Tribunal Federal (STF) e juízes e desembargadores federais.

Procuradores da Operação Lava Jato foram os principais alvos, incluindo parte dos integrantes das forças-tarefas de Curitiba e do Rio.

O relatório da perícia da PF registra a quantidade de vezes em que os hackers utilizaram a técnica de usar um aplicativo para simular uma ligação com mesmo número de origem e de destino. Por meio dessa técnica, os hackers conseguiam invadir a caixa postal dos celulares e obter a senha de acesso ao Telegram, para entrar no aplicativo e ter acesso às conversas mantidas pelo alvo. Ainda não houve identificação, porém, de quais alvos os hackers conseguiram efetivamente copiar conteúdo ou mesmo entrar no  aplicativo de mensagens. O relatório registra apenas o fato de terem sido alvo dos ataques.

Veja os alvos dos ataques e a quantidade de tentativas de invasões feitas pelo hacker, na ordem listada pela PF e com a grafia utilizada no relatório da perícia:

Rodrigo Janot (ex-PGR) – 76

Deltan Dallagnol – 37

Luciano (sobrenome não identificado) – 28

Thaméa Danelon (procuradora, ex-coordenadora da Lava Jato de São Paulo) – 22

Orlando Martello Junior (procurador da Lava Jato de Curitiba) – 21

Alexandre de Moraes (ministro do STF) – 13

Nicolao Dino (subprocurador aliado de Janot) – 13

Claudio Dantas (jornalista do site O Antagonista) – 12

João Otávio de Noronha (atual presidente do STJ) – 10

Eduardo Bolsonaro (deputado) – 10

Rodrigo Maia (presidente da Câmara) – 10

José Augusto Vagos (procurador da Lava Jato do Rio) – 10

Márcio Barra Lima (ex-coordenador da Força-Tarefa Greenfield do MPF) – 10

Paulo Gomes Ferreira Filho (procurador da Lava Jato do Rio) – 10

Delegado Francischini (ex-deputado federal) – 9

Paulo (chefe de gabinete do presidente do Senado Davi Alcolumbre) – 9

André Wasilewski Dusczak (juiz federal) – 9

Roberson Pozzobon (procurador da Lava Jato de Curitiba) – 9

Raquel Dodge (ex-PGR) – 9

Thiago Lacerda Nobre (coordenador da Lava-Jato em SP) – 9

Felipe Francischini (deputado federal) – 8

DPF Edson (delegado da PF de SP) – 8

Luiz Philippe O. Bragança (deputado federal) – 8

Januário Paludo (procurador da Lava Jato em Curitiba) – 8

Wagner do Rosário (ministro da CGU) – 7

Luís Felipe Salomão (ministro do STJ) – 7

Gleisi Hoffmann (deputada) – 7

Paulo Teixeira (deputado) – 7

Joice Hasselmann (deputada) – 7

Deltan Dallagnol (outro número do procurador) – 7

Eduardo Bolsonaro (deputado, outro número) – 7

Flávio Bolsonaro (senador) – 7

Presidente Bolsonaro Reservado (presidente da República) – 7

Presidente Bolsonaro telefone funcional (presidente da República) – 7

Coronel Hideo (não identificado) – 6

Baleia Rossi (deputado) – 6

Tiago Ayres (advogado do PSL e de Bolsonaro) – 6

Cid Gomes (senador) – 6

Marisa Ferrari (procuradora da Lava Jato do Rio) – 6

Kim Kataguiri (deputado federal) – 6

Abel Desembargador (desembargador do TRF-2) – 5

Eduardo El Hage (coordenador da Lava Jato do Rio) – 5

Júlio Carlos Noronha (procurador da Lava Jato de Curitiba) – 5

Isabel Groba (procuradora da Lava Jato de Curitiba) – 5

Karen Louise (procuradora da Lava Jato de Curitiba) – 5

Luiza Frischeisen (subprocuradora, foi candidata à PGR pela lista tríplice) – 5

DGP SP Youssef (não identificado) – 4

Ministro Sergio Moro (ministro da Justiça) – 4

Zampieri (ajudante de ordens da Presidência) – 4

Carlos da Costa (secretário especial de Produtividade do Ministério da Economia) – 4

Gabriela Hardt (juíza federal da Lava Jato de Curitiba) – 4

DPF Rafael Fernandes (delegado da PF) – 4

Andrey Borges de Mendonça (procurador da Lava Jato em SP) – 4

Eduardo Pelella (procurador e ex-chefe de gabinete de Janot) – 4

Flávia Cecília Blanco (não identificado) – 3

Abraham Weintraub (ministro da Educação) – 3

Dep. Luiz Philippe Bragança (deputado) – 3

Eduardo Paes (ex-prefeito do Rio) – 3

Lamoso (ajudante de ordens do governo de SP) – 3

Pezão (ex-governador do Rio) – 3

Flávio Lucas (não identificado) – 3

Igor Gadelha Crusoé (jornalista da Crusoé) – 3

Pedro Bial (jornalista da TV Globo) – 3

André Luiz Morais de Menezes (não identificado) – 3

Danilo Dias (procurador e ex-coordenador da área criminal de Janot) – 3

Douglas Fischer (procurador e ex-coordenador da Lava-Jato de Janot) – 3

Rudson Coutinho da Silva (não identificado) – 3

Abílio Diniz (empresário) – 2

Davi Alcolumbre (presidente do Senado) – 2

Mais lidas
Últimas notícias