Retomada: governo quer 1 milhão de empregos com obras públicas

O programa Pró-Brasil prevê ações em larga escala a partir de outubro deste ano, mas investimento não foi informado

atualizado 22/04/2020 18:10

Ministros da Saúde, Nelson Teich, e da Casa Civil, Braga NettoIgo Estrela/Metrópoles

Um dos militares com maior poder no governo federal, o ministro-chefe da Casa Civil, general Braga Netto, vai comandar um grande plano de retomada econômica do Brasil para lidar com os prejuízos causados pelo coronavírus. O início dos investimentos não será imediato nem o valor a ser aplicado está definido, mas a ideia é ter obras públicas como um dos principais fatores para fazer a economia rodar de novo e a promessa é de que sejam criados 1 milhão de empregos.

O plano Pró-Brasil, segundo Braga Netto, deverá sair do papel no segundo semestre deste ano. “A estruturação será de maio a julho e implantamos em larga escala a partir de outubro”, prometeu ele em entrevista coletiva no Palácio do Planalto na tarde desta quarta-feira (22/04). Até agora, contudo, nem sequer uma obra foi definida.

O plano tem dois eixos: o primeiro é Ordem, no qual estão previstas atração de investimento privado e maior segurança jurídica. O segundo é Progresso, que prevê os investimentos com a realização de obras públicas e parcerias com o setor privado.

Os detalhes, segundo o governo, serão conhecidos em até 90 dias.

Últimas notícias